arcos-de-valdevez
Arcos de Valdevez, Europa, Portugal, Visitar

Aqueles que viajam para Arcos de Valdevez

Cercado por montanhas, Arcos de Valdevez é uma simpática vila à beira rio, no interior do Alto Minho onde Portugal se fez. A consagração do pais aconteceu ali, após D. Afonso Henriques ter vencido o seu primo Afonso VII de Leão e Castela no Torneio de Arcos de Valdevez, também conhecido como Reencontro de Valvez. poço-negro-soajo-arcos-de-valdevezComo chegar em Arcos de Valdevez?

Ônibus e bicicleta chegam facilmente em Arcos de Valdevez. As viações Salvador Transportes (até Braga 4,80€) e Renex (até Lisboa 23€ +5€ para transportar bicicleta) fazem ligações para várias cidades do Minho e do país por um precinho que não da pra reclamar.

Joldas S. Paio, onde inicia a Ecovia do Vez está a 2 km da Ponte Medieval que liga Ponte da Barca a Arcos de Valdevez. E apenas alguns metros a frente está o início da Ecovia da Laranja que liga Arcos de Valdevez a Ponte de Lima, Viana do Castelo e Caminha.

O que ver e fazer em Arcos de Valdevez?

1 – Ecovia do Vez

jolsas-sao-paio-arcos-de-valdevezO caminho junto ao Rio Lima e ao Rio Vez, que liga o Joldas S. Paio a Sistelo deu lugar a ecovia mais movimentada dos últimos tempos no norte de Portugal. São 40 km de pista entre terra e pedra, com algumas partes em pavimento e passadiço em meio a um túnel verde formado por árvores de vários tipos e tamanhos.

2 – Campo do Transladário

A maior atração do Campo do Translário não é o Rio Vez e sim as estátuas que representam o Torneio de Arcos de Valdevez, considerado um dos momentos mais importantes da fundação da nacionalidade portuguesa.

Por volta de 1141, os melhores soldados dos exércitos de Afonso Henriques e os de seu primo Afonso VII de Leão e Castela confrontaram-se no Vale do Rio Vez para disputarem o domínio de Arcos de Valdevez. Este torneio medieval evitou uma batalha e o enfraquecimento dos exércitos que lutavam contra os mouros a conquistas de terras.

Este momento foi o passo decisivo e a última etapa para o nascimento de Portugal. Com a vitória dos seus cavaleiros no torneio, D. Afonso aproveitou as boas graças da Igreja, e por intermédio do Arcebispo de Braga, D. João Peculiar, solicitou ao Papa Inocêncio II o seu título de rei.

3 – Paço de Giela

paço-de-giela-arcos-de-valdevezO Paço de Giela é um exemplar único de habitação nobre em meio rural, essencialmente por representar na sua arquitetura vários momentos construtivos, desde o século XIV até XVIII.

Na Idade Média até meados do século XI, o paço foi usado como controle e defesa de território e fronteira. No decorrer dos anos foi destruído e abandonado, reconstruído e ampliado, ganhando torres, andares superiores, escadas, janelas em estilo manuelino, igreja, poço, lagares de vinho e azeite.

Onde: GPS 41°51’00.1″N 8°24’28.1″W
Quando: de ter a dom das 10:00h às 13:00h e das 14:00 às 18:00h
Quanto: 1€
Contato: +351 258 520 529

4 – Vila de Soajo

soajo-arcos-de-valdevezSoajo é uma vila com características próprias: cavalos selvagens a solta, pastores com seus gados, senhoras carregando legumes na cabeça, ruas estreitas e quase desertas, casas feitas de granito e natureza envolvente. É dos lugares mais genuínos que se pode encontrar em Arcos de Valdevez!

5 – Espigueiros de Soajo

spigueiros-soajo-arcos-de-valdevezNuma primeira vista, o conjunto de 24 espigueiros de Soajo mais parece um complexo religioso-funerário. Mas não. Eles são os silos do século XVIII onde os agricultores guardavam e secavam o milho após a colheita.

Por serem construídos em granito, terem a presença das cruzes no topo e estarem aparentemente posicionados aleatoriamente, de certa forma, até dão a impressão de serem um cemitério minhoto. Não é à toa que as aparências enganam, não é?

Apesar de serem antigos, os espigueiros mantem-se em excelente estado de conservação e alguns deles ainda são usados pela comunidade local.

6 – Pão de Ló de Soajo

O Pão de Ló é um dos doces mais populares da tradicional doçaria portuguesa. Tão simples quanto saboroso, não é necessário mais do que três ingredientes para fazê-lo: ovos, açúcar e farinha.

Tal como o Pão de Ló de Ovar e de outras cidades portuguesas, em Soajo também há um, mas com uma combinação de ingredientes em proporções diversas e método de cozedura próprio. O resultado? Um Pão de Ló pouco húmido e extremamente fofo. Só mesmo experimentando!

Onde: Padaria de Soajo

7 – Caminho da Ladeira

caminho-da-ladeira-soajo-arcos-de-valdevezO Caminho da Ladeira era um dos caminhos utilizado para fazer o contrabando entre Portugal e Espanha, durante o período da ditadura.

Com cerca de 3 km, ida e volta, o Caminho da Ladeira é daqueles caminhos para ir parando, olhando e aproveitando cada segundo em contato com a natureza no seu estado puro e selvagem.

O ponto alto do caminho é a Ponte da Ladeira. Uma ponte medieval sobre água verde esmeralda que vem do Poço Negro, uma das principais atrações do verão de Soajo.

Onde: Soajo, junto aos espigueiros
Quando: todos os dias
Quanto: 8€ (visita guiada por Soajo + Caminho da Ladeira)
Com quem: Soajo Nomadis

8 – Caminhada Passadiço de Sistelo

passadiço-de-sistelo-arcos-de-valdevezDa Ponte Medieval de Vilela até a Aldeia de Sistelo são 10 km, num nível de dificuldade moderada e três horas de caminhada – estimativamente. Nada mal, principalmente porque o caminho é super arborizado, junto ao rio Vez e com três zonas balneárias que quase tiram o foco da caminhada para bons mergulhos.

Onde: Avenida Recontro de Valdevez
Quando: todos os meses ao sábado
Quanto: 10€ (com seguro e carrinha que leva de volta para o ponto de partida)
Com quem: Nature 4

9 – Aldeia de Sistelo

sistelo-arcos-de-valdevezFamosa pelas suas paisagens em socalcos, onde se cultiva o milho e pasta o gado, a aldeia de Sistelo é um exemplo da capacidade do homem às singularidades e adversidades da natureza, transformando-a em prol das suas necessidades, sem danificá-la.

Os socalcos foram construídos nas vertentes das montanhas para aumentarem a área agrícola e contraírem os declives, aproveitando-os para guiar as águas, através de levadas ou regadios, diretamente para os campos agrícolas.

Apelidada carinhosamente de pequeno Tibet português por conta dos socalcos, Sitelo parece aldeia de filme de comédia romântica, com suas ruas pequenas, casas de granito, moinhos, espigueiros e gente genuína que mantém o seu viver tradicionalmente agrícola.

10 – Castelo de Sistelo

castelo-de-sistelo-arcos-de-valdevezDepois dos socalcos, o castelo é o que mais se destaca na paisagem de Sistelo. No século XIX, Manuel António Gonçalves Roque depois de ter feito fortuna no Brasil, regressou para Sistelo e construiu um imponente castelo revivalista de planta retangular. Seu Manuel além de ter feito um castelo próprio, numa época em que a construção de castelos não acontecia mais, tornou-se o primeiro e único Visconde de Sistelo.

aquelesqueviajam_coraçao

A press trip para Arcos de Valdevez foi realizada em parceria com a Câmara Municipal de Arcos de Valvezes, Taste Minho, Soajo Nomadis, Nature 4 e Quinta Lamosa, mas as opiniões são todas pessoais e verdadeiras.

Anterior Próximo

Aposto que também vai gostar de:

3 Comentários

  • Resposta Aqueles que viajam para Ponte da Barca 2 de junho de 2017 at 12:16

    […] Aqueles que viajam para Arcos de Valdevez […]

  • Resposta Aqueles que viajam para Ponte de Lima 2 de junho de 2017 at 13:50

    […] Aqueles que viajam para Arcos de Valdevez […]

  • Resposta Quinta Lamosa: bungalows inspirados nas histórias e tradições do povo minhoto 13 de junho de 2017 at 22:47

    […] Aqueles que viajam para Arcos de Valdevez […]

  • Sou curiosa! Deixe um comentário:

    Spam prevention powered by Akismet

    Pular para a barra de ferramentas

    Adaptado por aquelesqueviajam.com