passear-e-azulejar-estampilha
Dicas, Europa, Portugal

20 Curiosidades sobre o azulejo português

Viajar por Portugal é ser constantemente surpreendido por painéis de azulejos. Pequenos ou grandes o azulejo português está presente nas estações de trem, igrejas, conventos e mosteiros, casas e palácios, jardins e fontes, monumentos… por todos os lados, nos mais tradicionais ou menos prováveis sempre haverá um painel que, em tons de azul ou colorido contam fatos importantes da história do país.

Tão interessante quanto descobrir a história de Portugal através dos painéis de azulejos, são as curiosidades que estão em volta desse artefato que é impossível desassociar da tradição e cultura portuguesa.

Leia também: Passear e azulejar no Porto

1 – A palavra azulejo vem do árabe azzelij, que significa pequena pedra polida usada para desenhar mosaicos pelos muçulmanos.

2 – Um azulejo é nada mais e nada menos do que um artefato em cerâmica com pouca espessura, na maioria das vezes em formato quadrado, sendo uma das superfícies vidrada em consequência da cozedura do revestimento, tornando-se desta forma brilhante e impermeável. Esta superfície pode ser pintada com uma ou várias cores, ser lida ou com relevo.

3 – Os primeiros azulejos em Portugal foram importados de oficinas de Sevilha em 1498. O rei D. Manuel I, numa de suas viagens para a Espanha, ficou encantado com o brilho dos azulejos e os trouxe para decorar as paredes do seu palácio – o Palácio Nacional de Sintra.

4 – Os azulejos portugueses eram considerados um meio de distinção social.

5 – A primeira fábrica de azulejo português surgiu em Lisboa, no final do século XVIII.

6 – A corte portuguesa oitocentista trouxe do Brasil a moda de usar azulejos como material de revestimento das fachadas dos edifícios. O motivo? A durabilidade do material e claro, o impacto estético.

7 – A azulejaria de fachada vai além da estética. Uma casa revestida de azulejos protege as paredes da umidade e do frio.

8 – Antigamente, o azulejo era material exclusivo de áreas molhadas como cozinha, banheiro, entre outras que continham instalações hidráulicas. Com o passar dos anos, passou a ser usado como elemento decorativo em construções.

9 – Engana-se quem pensa que um azulejo português é simplesmente um elemento decorativo. É a expressão criativa de um artista! Há muito da história do país pintada em azulejos: saiba interpretá-los!

10 – O padrão azul e branco, tão comum nos azulejos portugueses surgiu no século XVII. Essas cores foram herdadas por influência holandesa e da porcelana oriental. Sem contar que o azul, ainda mais quando combinado com o amarelo era sinônimo de poder e riqueza, por isso e está presente em muitos palácios e igrejas do país.

11 – Os azulejos portugueses nas paredes das igrejas tinham a função pedagógica de contar histórias bíblicas, já que a leitura naquela época era privilégio de poucos.

12 – A partir do século XVIII, o azulejo português deixa de ser exclusivo da nobreza e passa a aparecer nas casas, substituindo os quadros e tapeçarias na decoração.

13 – Por conta da alta procura de azulejos portugueses, no século XIX, a fabricação foi mecanizada, influenciando a diminuição do seu custo de produção e aumento da disseminação.

14 – Os azulejos portugueses, conhecidos como “Pombalinos” são os azulejos utilizados na reconstrução das casas, edifícios e igrejas após o terremoto de 1755 de Lisboa.

15 – A fachada de azulejo português romântico-revivalista da antiga Fábrica de Cerâmica Viúva Lamego, construída entre 1849 e 1865 é um dos exemplos pioneiros utilizado como meio publicitário.

16 – A implementação do Estado Novo e a definição do estilo de arquitetura de Salazar, por volta de 1946, levou à criação de um estilo nacionalista que, substituiu o azulejo pelo mármore. O azulejo voltou a conquistar o seu prestigio e presença na arquitetura pelas mãos dos artistas plásticos ligados à oposição de Salazar.

17 – Portugal é a capital mundial do azulejo.

18 – Ovar é considerada a “Cidade Museu do Azulejo”. Mas porquê? Do tradicional azul e branco aos tons mais garridos, a cidade possui uma riquíssima e variada coleção de azulejos a céu aberto. São centenas de casas, prédios e estabelecimentos comerciais revestidos de azulejos.

19 – Em Portugal, a arte da azulejaria é tão valorizada que ganhou um museu próprio: o Museu Nacional do Azulejo, instalado em 1980 no Convento da Madre de Deus, em Lisboa. Imperdível!

20 – Os azulejos são um dos 12 tesouros europeus e são uma das características que fazem de Portugal o país “mais azul” do mundo.

Salve este pin ❤

Azulejo português

Anterior Próximo

Aposto que também vai gostar de:

1 Comentário

  • Resposta Viajento 16 de abril de 2018 at 19:01

    Portugal realmente é um paraíso para quem gosta de azulejos, eles estavam em quase todos os lugares que visitei. Acho muito lindo!

  • Sou curiosa! Deixe um comentário:

    Spam prevention powered by Akismet

    Pular para a barra de ferramentas

    Adaptado por aquelesqueviajam.com