aquelesqueviajam_aquelesqueviajamdebicicleta2
Caminho de Santiago de Compostela, Dicas, Europa, Experiências

18 dicas para fazer o Caminho de Santiago de Compostela de bicicleta

O Caminho de Santiago de Compostela não é só um caminho. É um momento de peregrinação único e cheio de significados, onde há misticismo, aventura, lindas paisagens, espiritualização e superação. Fazê-lo é das experiências mais enriquecedora e incrível que se pode ter!

Pela França, Espanha e Portugal há vários caminhos, escolha um! Pegue a bicicleta, ponha o alforge na grade e o capacete na cabeça e bom caminho!

aquelesqueviajam_aquelesqueviajamdebicicleta7

Leia também: 9 dicas essenciais para fazer o Caminho de Santiago de Compostela

Leita também: 30 coisas que não deve fazer no Caminho de Santiago de Compostela

1 – Credencial do peregrino

A credencial do peregrino é um documento de identificação dos peregrinos que caminham, pedalam ou cavalgam até Santiago de Compostela.

Na prática, a credencial tem duas finalidades: permitir acesso aos albergues oficiais do caminho e, comprovar a distância percorrida até Santiago. Assim que a ideia de fazer o Caminho de Santiago toma forma, a credencial é das primeiras coisas a serem providenciadas. É possível encontrá-la nas catedrais ou no centro de turismo das cidades que fazem parte dos caminhos de Santiago de Compostela.

2 – Bicicleta

O Caminho de Santiago de Compostela possui diversos terrenos: montanhas, estradas rurais, pavimentadas, com pedras… sendo uma montan-bike o modelo ideal para suportar o impacto dos terrenos. Quanto melhor for a bicicleta, mais confortável e fácil será a pedalada até Santiago, mas nada disso importa se não há força de vontade de chegar ao destino final.

Ah! O selim também pode importar – mas só um pouquinho! Se não pedala com frequência e longas distâncias, a capa para o selim com proteção de gel pode ser um upgrade para a bicicleta.

3 – Capacete

Precisa dizer? Sim!

4 – Alforge

Há vários modelos, tamanhos e cores de alforges. Considere a escolha por um alforge que seja resistente, impermeável e duplo – para equilibrar o peso e que tenha os seguintes acabamentos: bolsos e estojo com fecho, alça de ombro e/ou de mão, sistema de fixação simples na bicicleta e compartimento acolchoado. São detalhes que fazem toda a diferença! O alforge pode ser fixado numa grade traseira ou dianteira e o ideal é que pese no máximo 6kg!

5 – Roupas

Com que roupa vou? Roupa de ciclista garante uma pedalada mais confortável até Santiago, mas há quem opte por usar apenas a bermuda ou a calça de ciclista. Não é necessário levar uma roupa para cada dia. Cada muda, seja de roupa íntima ou não é sempre umas gramas a mais no alforge e gramas somadas, tornam-se peso extra!

Leve duas mudas de roupas de ciclista, uma muda para o pós-pedalada, um casaquinho ou casacão, roupa íntima para dois dias e um pijama. Simples assim! Até pode levar menos, tudo é uma questão de praticidade e agilidade em lavá-las assim que chega na hospedagem.

Seja albergue municipal, pousada, hotel… todas as hospedagens para peregrinos possuem lavanderia. Umas mais equipadas, com máquina de lavar e secar e outras mais simples, com apenas uns tanques de lavar roupas.  Lembre-se de levar sabão em pó ou liquido num recipiente (ou sabonete Dove – deixa a roupa cheirosa e macia) e grampos (ou joaninhas/pregadeiras) para prender as roupas no varal.

6 – Roupa íntima

Já pedalou de bermuda ou calça de ciclismo sem roupa íntima? Experimente! É muito mais confortável para pedalar. Mas faça alguns testes antes do Caminho de Santiago de Bicicleta, ok? A roupa íntima, com exceção do top para usar de baixo da camiseta, tende a provocar irritações e assaduras na pele, mas tudo é uma questão de hábito.

7 – Luvas

Para evitar formigamento nas mãos e ter mais conforto nas pedaladas, use luvas de ciclista! Qualquer modelo serve, mas os que possuem gel nas palmas das mãos são, sem sombra de dúvida os mais confortáveis.

8 – Calçados

Com qual calçado pedala? Vá com esse! Se pedala com a sapatilha de clip não descarte a possibilidade de usá-la. Além dela ser mais rígida e amenizar o cansaço, fazer alterações de calçado – sem testes – numa viagem de longa distância é, na maioria das vezes arriscado. As consequências podem serem drásticas.

Se for verão as Havaianas darão conta do recado sem a necessidade de levar outro calçado para caminhar, mas se for inverno leve um calçado de pequena dimensão no alforge.

Há quem prefira pedalar com tênis de corrida/caminhada. Se for de praxe, siga as flechas amarelas e bom caminho!

9 – Kit de higiene

Organizar o kit de higiene exige praticidade e desapego de algumas coisinhas. Leve o essencial e tudo em tamanho mini como: lencinhos umedecidos, pasta de dente, escova de dente, shampoo, sabonete líquido, desodorante, escova de cabelo, toalha microfibra de banho e uma de mãos – parece supérfluo, mas ela será usada em várias circunstancias!

Se o Caminho de Santiago de Compostela for em dupla, opte por dividir algumas coisinhas que não são de uso pessoal, tipo a paste de dente. Não há necessidade de duas pessoas carregarem a mesma coisa, neh?

10 – Repelente

Muitas partes do Caminho de Santiago de Compostela e albergues são em meio a natureza. O uso de repelente, essencialmente para as pessoas que tem alergia a picadas de inseto é indispensável. Leve um repelente spray numa versão mini para usar enquanto pedala e também enquanto dorme. Os albergues são limpos, mas por conta da rotatividade de peregrinos, mochilas e calçados suados no local, há sempre o risco de algum percevejo lhe picar. O risco maior é no verão, mas por precaução adote o repelente como uso no inverno também.

11 – Kit primeiro socorro

Assaduras, queimaduras do sol, machucados de quedas ou arranhões de galhos, dores musculares são quase inevitáveis no Caminho de Santiago de Compostela de bicicleta. Como prevenção use antes e depois da pedalada creme Fenergan, Promergan ou Vasenol para prevenir assaduras e ainda cuidar da pele, evitando futuras irritações.

Protetor solar 50+ no rosto e no corpo são indispensáveis, mesmo que seja inverno. Pomada cicatrizante, band aid, emplastro térmico e pomada para alívio de dores musculares são uma mão na roda. Prepare um mini kit de primeiro socorro!

12 – Saco cama

Para confortáveis noites de sono em albergues municipais, o saco cama também é indispensável. As camas em beliches dos albergues não possuem roupa de cama. Algumas até possuem, mas é um lençol para o colchão e uma fronha para o travesseiro, na maioria das vezes em tecido de TNT. Se for inverno, opte por um saco cama que suporte temperaturas baixas ou negativas. Para o verão, um saco cama de formato retangular com enchimento de fibra sintética será suficiente para dormir confortavelmente.

13 – Kit primeiro socorro para a bicicleta

Ninguém gosta de pensar nisso, mas vai que um pneu fura no meio da subida de uma montanha? Prevenir é melhor do que não ter sequer uma câmera de ar para remedia, portanto: ferramentas, câmera de ar e mini bomba vão no alforge, ok?

14 – Cadeado

Leve um cadeado para prender a bicicleta! Os albergues possuem lugares específicos para guardarem as bicicletas, mas nem todos são fechados.

15 – Luzes de sinalização

Quando mais elementos de luz na bicicleta, mais visível o ciclista fica. Refletores na dianteira, na traseira e nas laterais da bicicleta são essenciais para garantir a segurança na estrada. Lanternas a pilha ou com sistemas de iluminação com led também são necessárias para garantir que nenhum peregrino pedale no escuro.

16 – Bolsa de hidratação

Há quem prefira pedalar sem nada nas costas e há quem não pedale sem. Tudo é uma questão de prática, mas não deixe de carregar água junto a bicicleta. Na ausência da bolsa de hidratação, mantenha sempre a squeeze com água. E sempre que ver uma fonte de água potável, reforce o estoque!

17 – Reforço alimentar

Pelo Caminho de Santiago de Compostela há vários cafés, bares, mini-mercado e até máquinas com alimentos. Mas carregar barrinhas de cereais, bananas, gel energético e outros reforços alimentares garantem energia para pedalar em partes difíceis do caminho, como a Serra da La Bruja em Ponte de Lima ou os Pirineus, por exemplo.

18 – Acessórios indispensáveis ou extras

Casaco corta-vento, para-lamas, GPS, adaptador de tomadas, saco plástico, bloquinho de anotações, máquina fotográfica, Go Pro podem servirem em algum momento. Mas antes de coloca-los dentro do alforge, faça uma análise rigorosa acerca da necessidade de todos esses acessórios. Questione-se: é indispensável ou extra?

Anterior Próximo

Aposto que também vai gostar de:

2 Comentários

  • Resposta vander 3 de novembro de 2017 at 01:09

    tem como alugar a bike la?

    • Resposta Naiara Back 3 de novembro de 2017 at 23:21

      Vander! Você pode alugar a bicicleta numa das lojas da cidade de onde iniciará o Caminho de Santiago de Compostela. Muitas lojas alugam não só a bicicleta, mas os equipamentos necessários para a viagem e ainda buscam em Santiago. É tudo uma questão de combinar 🙂

    Sou curiosa! Deixe um comentário:

    Spam prevention powered by Akismet

    Pular para a barra de ferramentas

    Adaptado por aquelesqueviajam.com