ovar-igreja-de-valega
Europa, Ovar, Portugal

Aqueles que viajam para Ovar

No centro de Portugal, junto ao mar e a ria está Ovar. Uma simpática cidade que possui na essência características super variadas, capazes de agradar gregos e troianos. Conhecida como Cidade Museu do Azulejo, protetora de uma região onde se produz o único Pão-de-Ló que tem direito a se chamar Pão-de-Ló de Ovar  e famosa pelo carnaval mais folião do país são apenas algumas das características que tornam Ovar minimamente interessante. 

Leita também: 21 dicas para visitar Ovar

Como chegar em Ovar?

A estação de trem de Ovar é um dos cartões de boas-vindas da cidade. Além de ter belíssimos painéis de azulejos que representam cenas da vida dos vareiros nas paredes, a estação possui ligações com várias cidades de Portugal. De Braga a Ovar são aproximadamente 2:15h (4,50€) de viagem e de Lisboa 5:30h (17€).

O que ver e fazer em Ovar?

Rua do Azulejo

Ovar não tem o título de Cidade Museu Vivo do Azulejo por acaso. As ruas do centro histórico possuem um conjunto de igrejas, casas e prédios revestidos de azulejos coloridos e harmoniosos dos séculos XIX e XX, fora do comum.

Um verdadeiro museu à céu aberto que se estende por toda a cidade. Com exceção das ruas Dr. José Falcão, Cândido dos Reis, Heliodoro Salgado, 31 de janeiro, Luís de Camões e Alexandre Herculano, onde a presença dos azulejos é mais intensa por conta do impecável trabalho de restauração e conservação feito pela Câmara Municipal.

Há muito para ver e aprender a respeito dos azulejos: a origem e evolução histórica, as técnicas de produção, a diversidade, etc. Não saia de Ovar sem está experiência!

Onde: Centro Histórico
Quando: todos os dias
Quanto: 3,50€
Tempo: 1:00h
Com quem: Turismo de Ovar
Contato: turismo@cm-ovar.pt

Escola de Artes e Ofícios

A Escola de Artes e Ofícios é onde se preserva a memória da arte de azulejar, através de diversas atividades. Jogos, brincadeiras, palestras e workshop de pintura de azulejo são apenas algumas das atrações imperdíveis desta escola!

Onde: Rua Fonte do Casal, 24
Quando: De seg a sex das 08:30h às 13:00h e das 14:00h às 17:30h
Com quem: Turismo de Ovar
Contato: +351 965 220 425

Igreja de Válega

A Igreja de Válega é um verdadeiro escândalo aos olhos de quem a vê. Não é à toa! Sua fachada e o interior são completamente revestidos com painéis de azulejos policromáticos, produzidos na fábrica Aleluia de Aveiro. Uma verdadeira obra de arte, “disfarçada” de igreja.

Sua história não está relacionada a nenhuma promessa ou cura milagrosa e sim a generosidade do seu Comendador António Augusto da Silva que, simplesmente quis presentear à comunidade com uma igreja. E que presente, hem seu António!

Museu Etnográfico de Válega

Toda a vida doméstica, agrícola e industrial de Valéga, desde 1850 até o século XXI está ali, num solar do século XVIII que é na verdade o Museu Etnográfico de Válega. Um patrimônio cultural impecável, representado através de mais de 3.000 peças que vão desde trajes regionais e artesanatos a objetos ligados a antigos usos e costumes.

O sótão e a capela, as salas de exposições fixas e temporárias são interessantíssimas, mas é na cozinha onde se passa a maior parte do tempo. No Museu Etnográfico de Vále a cozinha, decorada com panelas rústicas nas paredes e forno a lenha no chão, mantém não só a arquitetura antiga, mas os hábitos tradicionais dos portugueses. Todos os dias são feitas receitas típicas com iguarias de produção própria. Inevitável sair daqui sem beber, pelo menos uma xicara de chá e provar um pedacinho de rosca, recém-saída do forno. Hum… é de pedir por mais!

Onde: Rua Irmãos Oliveira Lopes – Válega
Quando: De seg a sab das 14:00h às 17:00h
Contato: +351 256 502 164

Museu Júlio Dinis

Quem nunca leu “As Pupilas do Senhor Reitor” e “A Morgadinha dos Canaviais”? Clássicos da literatura portuguesa, ambas as histórias e outras mais foram escritas por Júlio Dinis, na sua casa em Ovar. Uma casa vareira tradicional que tem as suas portas abertas aos apaixonados pela leitura portuguesa.

Júlio Dinis foi um escritor único e curiosíssimo entre as referências nacionais, essencialmente por misturar romantismo e realismo em suas obras, sempre com um final feliz.

Onde: Rua Júlio Dinis – Jardim dos Campos
Quando: De ter a sex das 10:00h às 12:00h e das 14:00h às 18:00h | sab e dom das 14:00h às 18:00h
Quanto: Grátis

Produção de Pão-de-Ló de Ovar

O Pão-de-Ló de Ovar é a grande especialidade da doçaria vareira. Não é à toa que é considerada uma maravilha da doçaria tradicional portuguesa. Basta prová-lo para perceber porquê!

Tão simples, quanto cremoso, o Pão-de-Ló de Ovar é uma receita feita desde o século XVIII que utiliza apenas três ingredientes: ovo, açúcar e farinha de trigo. Mas não é só!
Nesta receita há um segredo que, neste caso é o da cozedura. Um segredo essencial para garantir a aparência de um Pão-de-Ló levemente castanho e a cremosidade que só um autêntico Pão-de-Ló de Ovar tem.

Há muitos mitos e verdades em volta do Pão-de-Ló de Ovar. Descubra-os! Em Ovar o que não faltam são fábricas, pastelarias e doçarias de produção própria que abrem suas portas a quem lá chega.

Onde: Doçaria Cruz
Quanto: 3,50€
Tempo: 1:00h
Com quem: Associação de produtores de Pão-de-Ló
Contato: appaodelodeovar@gmail.com

Tanoaria Josafer

Dos tempos de áurea a quase vias de extinção, a Tanoaria Josafer continua a resistir ao passar dos anos, firme e forte. Tudo começou no início do século XX, quando havia grande produção de barris para levar vinhos aos soldados que lutavam na Guerra Colonial Portuguesa, entre 1961 e 1974. Com o fim das guerras, houve menos exportação de vinho e consequentemente produção de barris, levando muitas tanoarias à falecia.

Mas esse não foi o caso da Tanoaria Josafar. Aqui a história tem vários capítulos interessantes, divididos entre dificuldades de mercado, visão de negócio, mudança de estratégia até regressar aos tempos de áurea.

Os barris da Tanoaria Josafar passaram a ser multiuso. Os nórdicos os aproveitam para decorar e os escoceses para armazenar whisky. Até que mais um modelo de negócio surgiu: a recuperação de barris de vinho! Como é que ninguém tinha pensado nisso antes, neh?

Referência a nível nacional e internacional, a Tanoaria Josafar não afrouxou as pernas, diante de um mercado que mudou da noite pro dia. São mais de 30 países da Europa, da América e do Oriente Médio utilizam seus barris feitos de carvalho francês para armazenar e envelhecer os melhores vinhos e whiskys do mundo. Conheça de perto a história completa da Tanoaria Josafar!

Onde: Avenida 29 de Março, 779 – Esmoriz
Quanto: 3,50€
Tempo: 1:00h
Com quem: Turismo de Ovar
Contato: turismo@cm-ovar.pt

Praia do Furadouro

Chama-se Praia do Furadouro, mas é mais conhecida como praia dos surfistas. Águas cristalinas, forte ondulação atlântica e um extenso areal garantem bons dias no litoral português, ainda mais quando ali acontecem eventos, provas como bodyboard e surf e a grandiosa festa do mar em honra de Nossa Senhora.

Parque Ambiental do Buçaquinho

São seis lagoas, jardim de plantas aromáticas, animais de várias espécies, parque infantil, e ainda bicicletas a disposição para explorar os mais de 24 hectares de verde que formam o Parque Ambiental do Buçaquinho. Considerado um exemplo de sustentabilidade ambiental, o parque é um paraíso natural em Ovar para ser aproveitado nas quatro estações e em todas as ocasiões.

Ciclovia do Atlântico

Desde Esmoriz, a Norte de Ovar, até à Ria de Aveiro, a Sul, passando pelas áreas de mata, dunas, praias e pelo centro da cidade há 40 km e 13 percursos para andar de bicicleta até enjoar.

Para pedalar, aqui nada falta. Nem mesmo as bicicletas! São 100 unidades, espalhadas por 11 parques da cidade para serem utilizadas por todo mundo. Aproveite!

Anterior

Aposto que também vai gostar de:

Seja o primeiro a comentar!

Sou curiosa! Deixe um comentário:

Spam prevention powered by Akismet

Pular para a barra de ferramentas

Adaptado por aquelesqueviajam.com