ovar-jardim-das-rosas
Dicas, Europa, Ovar, Portugal

21 dicas para visitar Ovar

O Carnaval, o Pão de Ló, os azulejos e a intima relação com a água, quer seja do mar ou da ria são apenas alguns elementos para serem explorados em Ovar. Alguns, pois a cidade tem história, patrimônio, cultura, sem contar no povo vareiro que é dos mais simpáticos que se pode encontrar pelo Centro de Portugal. Preparado para visitar Ovar?

Choquei 😱❤ #azulejos #ovar #visitovar #aquelesqueviajam #portugal #architecture

Uma publicação compartilhada por Aqueles que Viajam (@aquelesqueviajam) em

1 – As ruas do centro histórico de Ovar possuem um conjunto de casas e prédios fora do comum. Revestidos de azulejos coloridos dos séculos XIX e XX, são um verdadeiro museu vivo do azulejo.

2 – A Escola de Artes e Ofícios é onde se preserva a memória da arte de azulejar, através de diversas atividades. Jogos, brincadeiras, palestras e workshop de pintura de azulejo são apenas algumas das atrações imperdíveis!

3 – Não há melhor lugar para se sentir como um vareiro do que no Mercado Manuel Firmino, mais conhecido como Mercado Municipal de Ovar. Sua construção até nos faz lembrar um pouquinho do Brasil, pois foi inspirada nas obras do arquiteto Oscar Niemeyer, mas as pessoas e os produtos frescos que lá se vendem atribuem uma característica única a este mercado, localizado bem no coração da cidade.

4 – Se “tropeçar” numa ciclovia, não se assuste! São 40km e 13 percursos cicláveis que ligam o centro de Ovar a praia, as dunas e a ria, tendo sempre como companhia a natureza.

5 – Em Ovar não há desculpas para não pedalar. Os percursos cicláveis são quase sempre plano e as bicicletas são cortesia da Câmara Municipal. São mais de 100 bicicletas espalhadas por 11 parques. Pedalar nunca foi tão prático!

6 – Em Ovar há um parque que é um exemplo de sustentabilidade. Premiado na categoria Cidades Sustentáveis pelo prêmio dos Green Projetct Awards 2016, o Parque Ambiental do Buçaquinho tem 24 hectares de verde para ser explorado. Seis lagos, jardins aromáticos, animais, parque infantil, café bar com esplanada, bicicletas à disposição… Ah! Bem-vindo ao paraíso!

7 – Um espaço esquecido pelo tempo deu vida ao Parque Urbano de Ovar, um espaço verde que segue a linha dos parques com tradição romântica e naturalista, propícios ao lazer e ao convívio. São 7.5 hectares, formados por relvas, árvores, pontes e travessias ao longo da margem do rio Cáster.

8 – A Tanoaria Josefar é o resultado do empreendedorismo de três gerações de tanoeiros. Se o vinho é o que é, muito se deve não só a cortiça mas sim a tanoaria, afinal é em barricas, pipas e toneis feitos de madeira que o vinho repousa por anos e ganha sabor. A indústria da tanoaria tem uma história tão cultural quanto turística. Conhecê-la é indispensável, essencialmente para quem admira aquilo que tempo e a tecnologia não conseguem terminar.

9 – A impressão que se tem é que o Carnaval de Ovar é uma réplica do Carnaval do Brasil, mas há vareiros que afirmam com todas as letras e tom de certeza que não. Que a animação carnavalesca daqui é única e cheia de tradições.

10 – A Semana Santa de Ovar não é a maior do país, mas é uma das mais imponentes. Várias são as tradições religiosas, sendo as procissões as de maior destaque.

11 – Furadouro, Esmoriz e Cortegaça são as praias mais populares de Ovar. Mas há também as “praias desertas”, perfeitas para quem gosta de paz e sossego junto ao mar. Praia dos Marreta e Praia de São Pedro de Maceda são bons esconderijos!

12 – A Vila do Surf é o refúgio ideal daqueles que tem o surf como um estilo de vida. As praias de Ovar possuem ondas de todos os níveis para relaxar a mente, aliviar o estresse e ainda se divertir.

13 – Uma cidade ligada à pesca, não poderia deixar de ter os peixes e os mariscos como protagonistas na culinária, certo? Mas é perto do mar, no restaurante O Tasco que se come as melhores lulas grelhadas acompanhadas de batata cozida e molho verde. Hum… Obrigatório repetir sempre que estiver pelo Furadouro!

14 – Não se sabe bem ao certo a origem da receita, mas tudo a leva a crer que o Pão de Ló de Ovar foi um acidente de cozedura do pão de ló tradicional. Acidente ou não o que importa é que este pão que mais parece um bolo com interior cremoso é a grande especialidade da gastronomia vareira. Basta provar o Pão de Ló de Ovar da Cruz para perceber porquê!

15 – Arrisco dizer que Ovar tem um pézinho no Brasil. Aqui encontra-se arquitetura inspirada num arquiteto brasileiro, festeja-se o Carnaval e come-se brigadeiro. No restaurante Toca há brigadeiro e com sorte até encontra beijinho.

16 – Muito da cultura local se absorve através dos sabores gastronômicos, não é? Mas no Museu Etnográfico de Vélega há mais do que gastronômica local. É aqui que se mantem a cultura de estudar, conservar, salvaguardar e divulgar os sabores da terra e também dos trajes regionais, artesanato e objetos ligados a antigos usos e costumes. Um lugar Genuíno com G maiúsculo!

17 – Quem nunca leu “As Pupilas do Senhor Reitor” e “A Morgadinha dos Canaviais”? Clássicos da literatura portuguesa, ambas as histórias e outras mais foram escritas por Júlio Dinis, na sua casa em Ovar. Uma casa vareira tradicional que tem as suas portas abertas ao público.

18 – A imponência da Igreja Matriz de Cortegaça não se resume nas representações da vida de S. Pedro, S. Paulo, S. João Bosco, S. Francisco de Assis e do Coração de Jesus e Maria, mas sim no revestimento de azulejos azuis e brancos de 2921 a 1923 que abraçam todo o exterior da igreja.

19 – Em termos de arquitetura, ouso dizer que a Igreja Matriz de Ovar é a prima mais nova da Igreja Matriz de Cortegaça. Mais simples, mas nem por isso menos imponente, impossível não direcionar os olhos aos vários azulejos que tomam conta da sua fachada.

20 – Sem sombra de dúvidas, a Igreja Matriz de Válega é uma das mais impressionantes igrejas em Portugal! Tanto a fachada como o interior da igreja são revestidos em azulejos de múltiplas cores. Um verdadeiro choque aos olhos e uma emoção no coração!

21 – As Capelas dos Passos espalhadas pelo centro da cidade, incluindo um importante painel na Igreja Matriz de Ovar são imóveis de interesse Público desde 1946 e um exemplar único em Portugal do estilo rococó. Imperdíveis! Principalmente no período da Semana Santa que é quando encontram-se abertas.

Anterior

Aposto que também vai gostar de:

1 Comentário

  • Resposta Rosa 21 de maio de 2017 at 01:22

    Viagens muito bonitas..Parabéns.

  • Sou curiosa! Deixe um comentário:

    Spam prevention powered by Akismet

    Pular para a barra de ferramentas

    Adaptado por aquelesqueviajam.com