20 curiosidades sobre a cortiça portuguesa 1
Dicas, Europa, Portugal

20 curiosidades sobre a cortiça portuguesa

A cortiça é uma matéria prima tão fascinante que nenhum processo industrial ou tecnológico conseguiu a imitar. A origem da sua utilização perdeu-se no tempo, mas há vestígios históricos de que vários povos, a milhares de anos antes de Cristo haviam descoberto a sua versatilidade proveniente do sobreiro. 

Os Antigos Egípcios usaram a cortiça como utensílio náutico, nas artes da pesca e em aplicações domésticas. A Civilização Romana a utilizou nos calçados, como palmilhas, mas alargou os horizontes e a aplicou também como vedante de ânforas para transportar líquidos e ainda nas próprias casas, para revestir telhados e tetos.

Já os monges medievais, com o objetivo de se protegerem do frio no inverno e do calor no verão a utilizaram para revestir as paredes dos seus aposentos. E assim a cortiça seguiu por anos: sendo utilizada nas mais diversas formas.

Mas um dos produtos mais antigos em utilização permanente pelo homem continua, assim, a dar vida a novos produtos, aplicações e também a despertar algumas curiosidades.

1 – A cortiça é um produto 100% natural e 100% reaproveitável extraída dos sobreiros sem nunca prejudicar o normal desenvolvimento da espécie e sem danificar a árvore. Portugal é o maior produtor desta matéria prima no mundo. Ninguém o supera!

2 – É no Alentejo que se concentra o maior montado do país que é equivalente a 800.00 campos de futebol.

3 – O sobreiro, árvore produtora da cortiça é considerado símbolo nacional, tal como a bandeira e o Hino!

4 – O sobreiro mede aproximadamente 1,20 metros de altura e 60 cm de diâmetro e é uma árvore protegida por lei. Deixá-lo morrer é crime com pena de multa. Menos sobreiros é equivalente a menos CO2.

5 – Existe associações florestais que trabalham na fiscalização da extração da cortiça.

6 – É necessário esperar 25 anos para fazer a primeira extração da casca do sobreiro. Depois, a extração deve ser de 9 em 9 anos. Se não for extraída, o sobreiro morre e já sabe o que acontece, neh?

7 – Após o descortiçamento, o sobreiro realiza um processo de autorregeneração nunca visto em outra espécie florestal.

8 – A extração da cortiça acontece entre os meses de maio a agosto. Esse é o período em que a árvore se encontra numa fase mais ativa do crescimento e se torna mais fácil descortiçá-la sem ferir o tronco. Para esse trabalho é necessário dois homens, um machado e muita atenção para não ferir a árvore.

9 – A extração do sobreiro é um trabalho manual que passa de pai para filho. Já foi testado um protótipo de uma máquina, mas ainda são necessários alguns aperfeiçoamentos para substituir as mãos do homem.

10 – O descortiçamento é uma das atividades mais bem pagas na indústria da cortiça. Em torno de 80€ a 100€ euros por dia.

11 – Na Grécia Antiga os sobreiros eram vistos como símbolo de liberdade e honra. Somente os sacerdotes podiam os cortar.

12 – Só a partir do terceiro descortiçamento que é possível utilizar a cortiça para a produção de rolhas. Mas ela é muito versátil! E enquanto não há qualidade para produzir rolhas, se produz casacos, calçados, objetivos de decoração, materiais de construção…

13 – A cortiça é super leve, impermeável a líquidos e a gases, elástico e compressível, excelente isolante térmico e acústico, de combustão lenta e muito resistente ao atrito.

14 – O chão da catedral da Sagrada Família, em Barcelona, é de cortiça para melhorar a acústica e cortar o frio.

15 – Das florestas para os filmes Caça-Fantasma, Missão Impossível e etc. Hollywood utiliza a cortiça para simular detritos de explosão.

16 – O pó que sobra da produção de rolhas e de outros produtos feitos de cortiça é utilizado para produzir energia.

17- Desperdícios da indústria da cortiça dão origem a compósitos que são aplicados em adjuvantes de vacinas para melhorar a resposta do sistema imunitário.

18 – A cortiça é biodegradável, mas não se sabe o tempo que demora para degradar. Já foi encontrada garrafa de vinho de longa duração no fundo do mar com a rolha intacta.

19 – A cortiça contribui para melhorar a postura e diminuir o esforço físico quando aplicada em pavimentos e em calçado.

20 – Não é à toa o casamento da rolha de cortiça com o vinho! O contato entre eles leva à formação de compostos antioxidantes e anticancerígenos que podem reduzir o risco de doenças cardíacas e degenerativas.

assinatura-de-artigo-patrocinado_aqv

Descubra outras curiosidades sobre a cortiça no Cork Experience TourExperimente esse roteiro que tem uma missão em particular: inspirar a conhecer o mundo da cortiça portuguesa. Agende uma visita para um grupo a partir de cinco pessoas!

Endereço: Avenida Comendador Henrique Amorim, Nº 580 – Santa Maria de Lamas/ Portugal

Contato: +351 227 474 040 | info@apcor.pt

Anterior Próximo

Aposto que também vai gostar de:

12 Comentários

  • Resposta Carlos Roberto e Gleidys 26 de outubro de 2016 at 13:41

    Preservem a cortiça em nome dos bons vinhos.

  • Resposta Fábio Junior Alves 29 de outubro de 2016 at 10:19

    Adorei o post, não sabia da maioria destes fatos, realmente existe uma grande arte por trás das cortiças.

  • Resposta Paloma 29 de outubro de 2016 at 10:30

    Adoro posts assim cheios de cultura. Conheci o blog hoje, mas vi que é cheio de informações úteis e muita cultura. Muito bom!

  • Resposta Danielle Bispo 29 de outubro de 2016 at 12:26

    Nayara a cortiça é mágica! Eu e o marido estamos aqui impressionados com as informações que acabamos de ler. Nunca parei para imaginar de onde vinha e como era a extração da cortiça e jamais que o contato dela com o vinho levasse à formação de compostos antioxidantes e anticancerígenos. incrivel.

    Bjs
    Dani bispo

  • Resposta Itamar Japa 29 de outubro de 2016 at 14:52

    Que demais, quanta informação interessante! Adorei o post é uma verdadeira aula! Jamais iria imaginar mais da metade das coisas que você nos contou sobre a cortiça. Muito bom mesmo!

  • Resposta Gisele Almeida 29 de outubro de 2016 at 17:25

    Uai Nai! E eu aqui pensando que cortiça só servia para ser tampa de vinho!
    Obrigada por compartilhar a experiência e parabéns pela pesquisa.

  • Resposta Eliana C. Pereira 29 de outubro de 2016 at 19:51

    Que legal!!! Agora descobri que não sabia nada sobre as cortiças, haha. E fiquei morrendo de vontade de ir ao Alentejo ver as árvores prestes a terem a cortiça extraída…

  • Resposta Thaís 29 de outubro de 2016 at 22:08

    Que post rico de informações. Eu nunca tinha parado para pensar do que é feito a cortiça e não sabia da maioria das coisas que você explicou. Amei!

  • Resposta Larissa 30 de outubro de 2016 at 12:27

    Uau, que incrível! Eu não fazia ideia desse processo de se fazer uma rolha de garrafa! Muito bom saber dessas coisas! E adorei as fotos, lindas!

  • Resposta Luciana Rodrigues 30 de outubro de 2016 at 19:58

    Aprendi demais com esse post. E, sim, acho que uma cortiça dá uma charme enorme às garrafas de vinho, Acho feíssimas essas que usam outros tipos de tampas.

  • Resposta ANGIE 31 de outubro de 2016 at 02:05

    que interessante, nunca tinha lido nada a respeito de cortiça! e que planta pequenininha né, achava que era bem maior.. com tanta exploração tem que por multa alta sim, como foi feito com as araucárias aqui!!! uma medida para tentar preservar né!

  • Resposta Pedro Henriques 4 de novembro de 2016 at 21:46

    A cortiça é um dos grandes produtos de Portugal, e basicamente serve para quase tudo, rolhas, carteiras, calçado entre muitas outras utilidades. O que mais se destaca é a sua qualidade!

  • Sou curiosa! Deixe um comentário:

    Adaptado por aquelesqueviajam.com