caminho-de-santiago-de-compostela
Caminho de Santiago de Compostela, Europa, Experiências

30 Coisas que não deve fazer no Caminho de Santiago de Compostela

O Caminho de Santiago de Compostela é daquelas coisas que se pode fazer uma centena de vezes na vida e continuar descobrindo coisas novas e se surpreendendo todas as vezes. E nunca um caminho será como o outro.

Não importa os motivos pelo qual caminha (promessa, aventura, religião, etc), o que importa é a autorreflexão e a superação que acontece naturalmente durante os dias de caminhada. No final de 100, 200, 500 ou 800 km perceberá que o Caminho de Santiago de Compostela é daquelas experiências que impulsiona a seguir com outros caminhos da vida!

Leia também: 9 dicas essenciais para fazer o Caminho de Santiago de Compostela

Mas… há certas coisas que, em hipótese alguma devem ser feitas no Caminho de Santiago de Compostela. Descubra quais são e “Bom Caminho!”.

1 – Não se estresse tentando seguir um planejamento à risca. No Caminho de Santiago de Compostela, isso é impossível. A melhor opção é deixar o caminho guiar seus passos.

2 – Faça o tema de casa: estude o caminho, selecione, leia e assista alguns filmes a respeito da história do Caminho de Santiago de Compostela. Ou então descubra tudo isso na prática.

3 – Não tenha medo de fazer o caminho sozinho. Há muitos peregrinos pelo Caminho de Santiago de Compostela! Encontrar companhia para caminhar será o mais simples e fácil.

4 – Não use a falta de preparo físico para deixar de fazer o Caminho de Santiago. A partir do primeiro passo, vem o compromisso para os seguintes. Tudo é possível!

5 – Não fique parado olhando os ponteiros do relógio movimentando-se. Todo dia é dia de peregrinação até Santiago!

6 – Não se esqueça de verificar a previsão do tempo. A região da Galícia é bastante chuvosa no período de outono e inverno.  Em algumas partes do caminho, como o Caminho Francês de Santiago, além da chuva há neve!

7 – Não esqueça de providenciar a Credencial do Peregrino. É possível encontrá-la nos postos de turismo e nas catedrais ao preço de (aproximadamente) 2€.

8 – Se não quer ser confundido como um simples caminhante, lembre-se de comprar no primeiro lugar que encontrar a concha vieira – símbolo do Caminho de Santiago e prendê-la na mochila. Ao longo da Idade Média, sem Compostela impressa e assinada pela igreja, a concha de vieira passou a ser considerada uma prova de que alguém realmente havia cumprido a peregrinação.

9 – Não pode esquecer de levar tampões de ouvidos, principalmente se for dormir em albergues municipais. Além do barulho – entra e sai de peregrinos nos quartos – há sempre quem ressone ou ronque enquanto dorme. O cansaço faz isso!

10 – Dormir moído e acordar inteiro é quase um ritual do Caminho de Santiago. Para aliviar as dores há alguns truques como relaxante muscular, spray para dores musculares e emplastro térmico. Não esqueça deles na nécessaire!

11 – Não seja vítima da natureza. Aprenda a conviver com ela: protetor solar para rosto e corpo, chapéu, capa de chuva, calçado impermeável, meias de caminhada, bastão de caminhada… tudo isso ajuda a sobreviver da forma mais confortável possível!

12 – Não compre acessórios para estrear no Caminho de Santiago de Compostela. Compre, mas use-os, pelo menos uma vez – com exceção do calçado de caminhada que deve ser usado muitas vezes antes de iniciar a caminhada.

13 – Não leve a vida dentro da mochila e nem muito dinheiro. Exercite o desapego e aprenda a viver com menos! O Custo do Caminho de Santiago resume-se em hospedagem e alimentação. A hospedagem mais acessível é o Albergue Municipal (aproximadamente 6€) e a alimentação pode ser preparada na cozinha do albergue e compartilhada com outros peregrinos.

14 – Evite dormir sempre em hospedagens privadas. Elas são acessíveis e muito mais confortáveis do que os albergues municipais, mas é lá que estão todos – pelo menos a maioria dos peregrinos. Experimente, pelo menos uma vez!

15 – Em alguns albergues municipais o pagamento é feito através de donativos. Pague o que puder e o que achar justo pela experiência.

16 – Não caminhe mais do que seis horas. Deixe uma parte do dia para explorar a cidade onde irá dormir. Há sempre uma praça, museu, avenida, igreja, monumento interessante para conhecer!

17 – Se tem receio de não aguentar a quilometragem pretendida, não reserve hospedagem. É possível encontrar quartos em albergues privados, pensões, casas e até hotéis para peregrinos por processos acessíveis.

16 – É necessário parar para descansar no meio do caminho. Não deixe de aproveitar os locais para relaxar em parques, jardins, praças, praias…

18 – Não se esqueça que o Caminho de Santiago é uma caminhada e não uma corrida. A tartaruga conhece melhor o caminho que uma lebre!

19 – Escolha pelo menos um dia para começar a caminhada de madrugada, quando as luzes da cidade ainda estão acesas. A vista ao amanhecer, especialmente em meio a natureza é incrível!

20 – Não compre muitos alimentos e água para o dia da caminhada sem calcular quantos quilômetros pretende caminhar. Água e alimentos transformam-se em peso extra na mochila!

21 – Não esqueça de fazer um piquenique em meio a natureza num ou em todos os dias da caminhada. Se puder, faça num lugar onde há outros peregrinos fazendo o mesmo.

22 – Vale a pena fazer refeições em restaurantes de peregrinos, mas também na cozinha do local onde está hospedado. Cozinhar é um ato de amor!

23 – Não passe despercebido pelo Caminho de Santiago de Compostela. Deixe a sua marca através de uma mensagem inspiradora aos que virão por este mesmo caminho.

24 – Não fique preocupado com sinal de rede e acesso à internet. Aproveite esta caminhada para desconectar e conectar-se a vegetação, aldeias históricas, peregrinos e toda a atmosfera do Caminho de Santiago.

25 – Não caminhe com um mapa ou com um GPS. Há sinalização em diversas formas pelo Caminho de Santiago. Mas se, se perder ou se ficar em dúvida a respeito do caminho, fique à vontade para fazer perguntas. Os moradores adoram ajudar.

26 – Não fique irritado ou frustrado se, eventualmente se perder pelo caminho. Para se encontrar é necessário se perder!

27 – Não esqueça de reparar nos outros peregrinos e no modo como cada um faz o caminho: sozinho, acompanhado, a pé, de bicicleta, com carro de apoio… há sempre o que aprender com os outros!

28 – Se quiser chegar em Santiago de Compostela para a missa do peregrino, que acontece todos os dias às 12:00h, não esqueça de chegar cedo à cidade para guardar sua mochila, bastão de caminhada e outros pertences na Loja do Peregrino.

29 – Não se esqueça de retirar a Compostela, o certificado emitido pela Oficina do Peregrino que testemunha a peregrinação até Santiago de Compostela!

30 – Não fique apenas com uma experiência do Caminho de Santiago de Compostela. Escolha outro caminho para explorar!

Salve este pin ❤ Bom Caminho!

Caminho de Santiago

Anterior Próximo

Aposto que também vai gostar de:

56 Comentários

  • Resposta Cristina Camargo 29 de julho de 2017 at 12:25

    Muito válidas suas recomendações. Concordo muito com você. Ainda vou experimentar tudo isso em setembro, quando começo o meu Caminho, mas sinto que já vou preparada para viver a experiência da melhor forma para mim.

    • Resposta Naiara Back 31 de julho de 2017 at 22:22

      Vai de coração aberto Cristina <3 Bom caminho! Depois nos conta como foi a sua experiência.

    • Resposta Yara 8 de março de 2018 at 14:30

      Oi Cristrina, eu estava olhando os comentarios e vi o seu. e gostaria que vc fala-se pra noa como foi na caminhada, qual foi a experiencia? Eu tenho 12 anos e tenho muita vontade de fazer essa caminhada 🙂

      • Resposta Naiara Back 1 de dezembro de 2018 at 12:33

        Yara! Bom saber que uma menina tão nova já quer fazer o caminho 🙂

  • Resposta Aqueles que viajam para Vila Verde 29 de julho de 2017 at 15:25

    […] 30 Coisas que não deve fazer no Caminho de Santiago de Compostela […]

  • Resposta João Cunha 29 de julho de 2017 at 16:16

    Há uma coisa que embora pareça pouca mas não é , venha bem preparado fisicamente porque fazer uma média de 20 km por dia para quem só caminha no calçadão pode tornar esta viagem em um autentico inferno.Bolhas nos pés rotura e dores nos gémeos e por muita santidade e por muita fé que se tenha a fazer o caminho, essas dores acabam com o caminho de qualquer um.Tenha cuidado e prepare-se fisicamente para fazer cerca de 250km do Porto até Santiago de Compostela .250km não são uma brincadeira.

    • Resposta Naiara Back 31 de julho de 2017 at 22:24

      Toda preparação física é válida 🙂 Quando fiz pela primeira vez não tinha quase nada de preparação física e ainda estava acima do peso. Doeu os pés, as pernas e tive bolhas, mas tudo isso foi superado pela imensa vontade de concluir a peregrinação. 250 km não é brincadeira, é superação 🙂

  • Resposta João Cunha 29 de julho de 2017 at 16:19

    Tem mais com respeito a deixar alguma coisa no caminho , por muito que queira a natureza agradece que vc. passe por ela sem ela dar por vc. Não retire nada da natureza deixe ficar tudo como encontrou ,mas tambem não acrescente nada nela não risque nas arvores não escreva em pedaços de madeira não retire recordações para levar a natureza agradece que passe pelo caminho sem ele notar que vc. lá passou.

    • Resposta Luís Reis 12 de julho de 2018 at 22:42

      Fizemos o caminho 03/2018 e já comprei as passagens para ir novamente em 04/2019. Naiara, voce que já foi mais vezes, me diga, suas paradas/hospedagens foram nos mesmos locais das anteriormente. Estamos preocupados pois a 1å foi mágica em decepcionar nessa

    • Resposta Naiara Back 1 de dezembro de 2018 at 12:28

      Boas dicas João! É essencial, mas não custa nada repetir 🙂

  • Resposta Jorge 31 de julho de 2017 at 21:59

    Náiara, legal o que vc escreveu, más muitas delas não são coisas que não devemos fazer…
    Por exemplo, deixar um dia para sair de madrugada, ou usar a cozinha do albergue, não vi o que vc encontrou que “não deve ser feito”…

    Outras são meio esquisitas comonao estrear nada no caminho (nem uma lanterna ou camiseta ?) ou levar uma vieira para não ser “confundido com caminhante comum” ( embora muitos levem a vieira, a tradição e quema seja trazida da Galícia não levada para ela) ou mesmo ” não caminhar mais de 6 horas”. ( já fiz 3 caminhos e eu normalmente caminho das 7 às 14/15hs, não vi nada de ruim nisso).
    Se vc quer seguir o que propõe ( dicas do que não se deve fazer de jeito nenhum) da uma revisada e enxugue a lista…

    Forte abraço!

    • Resposta Naiara Back 31 de julho de 2017 at 22:30

      Jorge! Já reservou um dia do Caminho para sair de madrugada? Experimente! É mistico iniciar a caminhada com as luzes da cidade ainda acesas e ver lentamente o sol nascendo.

      Aconselha-se sempre experimentar aquilo que vai utilizar numa longa caminhada. A camiseta, por exemplo deve ser lavada e experimentada para saber se é confortável. A lanterna também! Vai que ela falhe? Mais vale precaver, não?

      A intenção não é enxugar a lista e sim aumentá-la de acordo com as experiências dos peregrinos 🙂 Essas são as minhas, deixe as suas também!

      Algumas coisas estão ditas que “não devem serem feitas”, mas não é uma regra! E mesmo que fosse regras, elas existem para serem quebradas. Quando oportuno, é claro 🙂

      .

    • Resposta Naiara Back 1 de agosto de 2017 at 16:28

      Respeitar a natureza sempre 🙂

  • Resposta Antonio Carlos Casagrande 1 de agosto de 2017 at 01:32

    olá. Pretendo fazer o caminho Francês dentro de um ano (Ago 2018) porque tenho que me preparar física e financeiramente. Estou lendo alguns blogs e vejo muita discussão sobre tempo de caminhada, tênis ou bota, o que levar…. Pretendo fazer o caminho sozinho e ainda tenho muitas dúvidas. Vou acompanhar seus posts e tentar me preparar adequadamente. Abraços

    • Resposta Naiara Back 1 de agosto de 2017 at 16:27

      Bom caminho Antonio! Prepare-se e esteja aberto para essa incrível experiência! Como fará o Caminho Francês, a bota pode ser uma boa escolha, mas lembre-se de usá-la em suas caminhadas antes do Caminho Francês. A bota trás mais estabilidade aos pés! Sobre o que levar, depende a época do ano. Quando é que pretende ir?

    • Resposta esio pezzato 2 de maio de 2018 at 16:35

      Oi Antonio Carlos, parto dia 20 de agosto p´roximo. se quiser ir junto… será meu terceiro caminho de compostela. de Pirapora já fiz 51 vezes… posso ajudar: vá bem calçado. tenis ou bota. eu prefiro tenis. boas meias, mas antes de tudo, tudo, va preparado. não queira levar no peito e na raça e na vontade apens, 800kms se nao estiver preparado. não vai conseguir. eu já estou na faixa de 15 a 20kms por dia. seis dias por semana. as vezes sete… preparo físico e fundamental. se quiser me escrever fique à vontade. esiopoeta@com.br

      • Resposta Naiara Back 1 de dezembro de 2018 at 12:33

        Que bacana Esio! Partilha a sua experiência com a gente 🙂

  • Resposta Laura Primo da Hora 1 de agosto de 2017 at 15:00

    Bem fiz o Caminho o ano passado, o Caminho Francês mais de 800 kms em 31 dias andei mais de 6 horas por dia todos dias fiz em 31 dias todos os dias levantei na madrugada pra fazer o Caminho porque fiz no verão iniciei em agosto e terminei dia 11 de setembro..aos 66 anos fiz um Caminho tranquilo com algumas bolhas nos pés, porque um dos dias usei meias úmidas..isso é uma coisa que não deve fazer no caminho Usar meias úmidas.

    • Resposta Naiara Back 1 de agosto de 2017 at 16:25

      Xiii… bolhas nos pés não é lega, mas há alguns truques para amenizar a dor, como furá-las com uma agulha e colocar penso Coomped. Meias úmidas nunca mais, neh Laura? 🙂

      • Resposta carminda gossler 15 de julho de 2018 at 19:04

        Parabens pela sua garra , falo porque tenho sua idade e sei que é uma glória . Conheci Santiago porque estive em Portugal , mas não foi peregrinando. Achei a cidade incrível .

  • Resposta PEDRO NETO 16 de janeiro de 2018 at 12:06

    Olá, estou programando fazer o caminho e gostaria de receber informação de qual melhor mês para fazer a caminhada. Moro no norte do Brasil , não sou e nem tenho muita afinidade com frio!.rsrs

    Sds,

    Pedro Neto

  • Resposta Iara Aparecida Rocha de Brito 2 de março de 2018 at 16:49

    Meu sonho fazer o caminho frances para santiago de compostela. Estou me preparando financeiramente para realizar este sonho. seria setembro/2018, mas creio que ainda não será possível. Mas estou confiante que noa passará de setembro/2019.

    • Resposta Naiara Back 3 de março de 2018 at 12:41

      Que lindo Iara! Essa é uma viagem relativamente acessível, tirando o custo de passagem Brasil > Europa, pois é nesse momento em que exercitamos ao máximo o desapego e a os dias de modo mais simples financeiramente.
      Se tem o caminho como objetivo, certamente não passará de setembro de 2019. Bom Caminho <3

  • Resposta Caminhos de Santiago de Compostela | Blog eDestinos 20 de março de 2018 at 18:17

    […] Mais dicas importantes […]

  • Resposta Graciela Angelo 25 de março de 2018 at 23:20

    Olá… Gostei das dicas, mas fiquei com dúvida: Para passar na imigração, não é necessário mostrar as reservas de estadia? É possível justificar algo como “estou fazendo o caminho de Santiago de Compostela”para não haver problemas?

    • Resposta Naiara Back 27 de março de 2018 at 20:42

      Geralmente, na imigração, é necessário apresentar um comprovante de hospedagem. Há três opções que te sugiro: 1) pedir uma carta do primeiro Albergue onde dormirá, 2) fazer reserva num hostel e depois cancelar
      ou 3) pedir uma carta para um residente. Nesta carta deve conter a informação de que ele ou ela será responsável pela sua hospedagem durante a permanência no país. Espero que alguma delas ajude 🙂 Bom caminho!

      • Resposta Wagner Bacconi 6 de julho de 2018 at 09:50

        Passe na imigração tranquilamente com a CREDENCIAL DEL PEREGRINO e importantíssimo : Seguro de viagem. Mostrando que é peregrino fica desnecessário comprovante de hospedagem. Buen camino!

        • Resposta Diego 1 de agosto de 2018 at 17:45

          Obrigado Wagner! Esta era 7ma dúvida minha tb!

        • Resposta Naiara Back 1 de dezembro de 2018 at 11:53

          Bom saber disso Wagner! Obrigada por compartilhar 🙂

    • Resposta JOAO ALGAYER 20 de julho de 2018 at 18:32

      Olá… fui e Julho, fiz seguro, reservas em saint jean e no final em Santiago, passagem de volta impressa tudo organizado para apresentar na imigração. O cara apenas pergunta o que vou fazer na Espanha e nem termino de responder “Camiño à Santiago” e ele já “clanc” aquele carimbo. Chegou a ser frustrante de tão fácil kkkkk.

      • Resposta Naiara Back 1 de dezembro de 2018 at 11:54

        Que bom que deu tudo certo João 🙂 Obrigada por compartilhar a sua experiência!

  • Resposta Clodomar da Silva 29 de abril de 2018 at 18:08

    Obrigado Naiara pelas valiosas dicas.
    Pretendo fazer sozinho e ficar em albergues, pois conforto temos em casa e lá vamos nos privar praticamente de tudo e buscar melhorar o nosso lado espiritual e dar um reset em tudo aquilo que não agrega em nossa vida. Quando voltar, darei minhas dicas para contribuir ainda mais com as suas dicas. Pois devemos nos aprimorar sempre.

    • Resposta Naiara Back 1 de dezembro de 2018 at 11:55

      Clodomar! Estou curiosa para saber as suas dicas <3

  • Resposta Eliud Martins Andre 20 de maio de 2018 at 21:21

    Olá,Naiara ! Irei fazer a caminhada em setembro, tenho algumas dúvidas:
    Nesta época faz frio ou calor?
    Devo ter de 10 a 15 dias para fazê-lo. É suficiente? O ideal seria começar por Portugal?
    O que vc me aconselharia levar na mochila? E qual tipo e quantidade de roupa?
    Eu consigo mesclar caminhada com carro?

    • Resposta Salete Maranhao 18 de julho de 2018 at 02:57

      Olá Eliud!
      Vou fazer o caminho português, saindo do Porto no dia 15/09/18 e vc vai quando?
      Agradeço as dicas do site, parabéns, querida!

      • Resposta Naiara Back 1 de dezembro de 2018 at 12:32

        Olá Salete, como foi o seu caminho? Compartilha com a gente as suas experiências 🙂

    • Resposta Naiara Back 1 de dezembro de 2018 at 11:56

      Olá Eliud, tudo bem?
      Imagino que já tenha feito o seu caminho, certo? Partilha com a gente como foi a sua experiência 🙂

  • Resposta Jefferson 6 de julho de 2018 at 16:05

    Olá, tudo bem?
    Pretendo fazer o caminho francês só, em maio (primavera) de 2019. Comecei a me preparar física e financeiramente agora. Principalmente fisicamente (10 kg acima do peso ideal).
    Tenho procurado sites e blogs que tratem do assunto. Em um destes sites o peregrino que fez o caminho francês postou vários vídeos e, em um deles, ficava muito claro a enorme quantidade de identificações falsas do caminho. Isso me preocupou um pouco. Também passaste por esta situação?

    • Resposta Jonatan 29 de agosto de 2018 at 01:53

      Tbm pretendo fazer em maio de 2029, comecei pesquisar sobre como me preparar agora, já li várias histórias sobre, mas ainda estou cheio de dúvidas.

      • Resposta Naiara Back 1 de dezembro de 2018 at 12:31

        Quais as suas dúvidas Jonatan? Como é que posso te ajudar?

    • Resposta Naiara Back 1 de dezembro de 2018 at 12:07

      Olá Jefferson! No Caminho Português teve algumas sinalizações falsas (mas bem poucas) por conta de novas rotas (alteradas para melhorar o caminho) e novos estabelecimentos que procuram os peregrinos como cliente. Mas, na dúvida te sugiro que questione as pessoas que residem no caminho.

      Quanto a esse tipo de situação no caminho Francês, eu desconheço. O melhor talvez seja comprar um mapa ou ver os apps do Caminho. Assim, terá a certeza de estar no caminho certo.

  • Resposta Luís Reis 12 de julho de 2018 at 22:43

    Fizemos o caminho 03/2018 e já comprei as passagens para ir novamente em 04/2019. Naiara, voce que já foi mais vezes, me diga, suas paradas/hospedagens foram nos mesmos locais das anteriormente. Estamos preocupados pois a 1å foi mágica em decepcionar nessa

    • Resposta Naiara Back 1 de dezembro de 2018 at 12:09

      Olá Luís! Nunca fiquei hospedada nos mesmos lugares. Acho que vale a experiência de se aventurar no desconhecido 😉 Bom Caminho <3

  • Resposta Edson Nerone 22 de julho de 2018 at 02:46

    Fiz o Caminho de Santiago em 2013 saindo de S.J.P.P. Foi algo em torno de 830km, porque por 2 vezes me perdi e acabei caminhando muito para retornar à estrada. Atravessei os Pirineus com neve e sozinho. Também visitei Eunate, que obriga a um desvio de uns 5km a mais. Ganhei dezenas de amigos pelo mundo afora. Curti minhas bolhas e dores como nunca, porque elas fazem parte do Caminho de qualquer um. Não estava muito preparado fisicamente, mas aprendi a respeitar meu corpo e saber quando parar e quando caminhar alguns quilômetros a mais. Chuva, vento, frio, cães, calor, roncos, fome e sede… tudo isso fez parte da minha experiência que vai ficar para sempre. E com poucos recursos. Eu tinha apenas 400 euros para os 31 dias. E corações generosos apareciam em todos os lugares, não me faltou nada.
    Quem tiver a oportunidade, deve fazer ao menos uma vez na vida. Não é um caminho qualquer que se faz de bota e mochila nas costas como simples aventura, mas é uma verdadeira aventura da alma.
    “O Diário de um Vagabundo” eu escrevi contando toda minha experiência a cada dia.

    Obrigado Naiara pelas informações descritas. Apenas uma resposta sua, a respeito do Compeed, penso que não seja muito bom usar, por experiência. Tive a sorte de tirar antes do tempo, mas conheci uma peregrina que sofreu muito por não conseguir retirar o adesivo e, creio eu, teve de aguardar alguns dias a mais para conseguir voltar a andar novamente.
    Abraços

    • Resposta Naiara Back 1 de dezembro de 2018 at 12:24

      Olá Edson! Obrigada por compartilhar as tuas experiências! Ainda quero fazer o caminho francês, quem sabe daqui uns anos 😉 Não tive problemas ao usar o Compeed e, inclusive uso sempre que meus pés ficam machucados. Mas cada caso é um caso, neh?

  • Resposta Edilene Santos 10 de agosto de 2018 at 12:10

    Olá..meu nome é Edilene.
    Pretendo ir a Lisboa em março de 2019 para participar da meia maratona de Lisboa. E depois fazer o Caminho de Santiago. Gostaria de saber se março(segunda quinzena) é bom periodo para fazer o Caminho. Gostei muito dessa postagem….otimas dicas. Estou começando a ler e me aprofundar sobre o assunto. Muito obrigada.

    • Resposta Naiara Back 1 de dezembro de 2018 at 12:01

      Edilene! Março será um bom período, pois estaremos bem perto da primavera! Qualquer dúvida que tenha, estamos aqui para te ajudar <3 Boa maratona e Bom Caminho!

  • Resposta Wesley Leite Ribeiro 21 de agosto de 2018 at 16:40

    Boa tarde,

    Estou planejando fazer o caminho em maio do próximo ano, espero conseguir me organizar para que aconteça.
    E tenho aprendido muito com as experiencias de todos que já fizeram o caminho.

    Gratidão por suas dicas.

    • Resposta Naiara Back 1 de dezembro de 2018 at 11:59

      Olá Wesley! Tenho a certeza de que o seu caminho será incrível! Aprendemos muito com os outros, não é?

  • Resposta Bell Simões 23 de agosto de 2018 at 18:23

    Oi Naiara, obrigada pelas dicas. Voce chegou a fazer a peregrinação de Santiago até Finisterre?

    • Resposta Naiara Back 1 de dezembro de 2018 at 11:58

      Olá Bell! Ainda não fiz a peregrinação até Finisterre, Quem sabe na próxima vez que for até Santiago 😉

  • Resposta esio pezzato 30 de outubro de 2018 at 16:31

    Meu Deus! eu sou um péssimo aluno mesmo. Vivo tomando bomba nas experiências da vida. O Caminho de Compostela é minha maior falta. Jà fiz por três vezes e preciso repeti-lo mais e mais. 2014, 2015 e 2018 estão no passado. Agora espero que chegue logo 2020 para finalmente eu fazer meu penultímo caminho… dantes do penúltimo, que será penultimo sempre… Qto à preparação, eu, com 65, opsso me dizer um privilegiado. Nada de tendinites, nada de bolhas nos pés, nada de cansaço físico, de extenuar ao final de cada jornada. Todo o caminho, sempre o Francês, está enraizado já em minha memória, e sei muito bem oq ue me espera… e o que posso dele esperar. Dizer mais.. teria mil caminhos para dizer. fico por aqui sonando com 2020….

    • Resposta Naiara Back 1 de dezembro de 2018 at 12:30

      Que bacana a sua experiência Esio. Obrigada por compartilhar 🙂 Espero fazer tantos caminhos como você!

  • Resposta Jorge 23 de novembro de 2018 at 11:35

    Bom dia Naiara! Tudo bem? Que ótimo que você se deu tempo para escrever todas estás dicas sobre esta experiência! tenho uma dúvida. Sabe se os albergues públicos e privados aceitam cartão de crédito para pagamentos das diárias?

    Grato pela atenção!

    • Resposta Naiara Back 1 de dezembro de 2018 at 11:57

      Olá Jorge! Os albergues públicos são bem simples e não aceitam o pagamento por cartão de crédito. Bom Caminho <3

    Sou curiosa! Deixe um comentário:

    Spam prevention powered by Akismet

    Pular para a barra de ferramentas

    Adaptado por aquelesqueviajam.com