fbpx
Cuidar dos pés no Caminho de Santiago
Caminho de Santiago de Compostela, Espanha

11 Dicas para cuidar dos pés e evitar bolhas em caminhadas

Quando se fala em Caminho de Santiago de Compostela, a preocupação de como cuidar dos pés de forma a evitar bolhas é inevitável. Afinal, é difícil, numa caminhada de longa distância e de dias seguidos, não ganhar, pelo menos uma ou duas bolhas nos pés. Difícil, mas não impossível, pois há alguns truques muito simples e práticos para cuidar dos pés e prevenir o surgimento das indesejáveis bolhas.    💬
Vai gostar de ler também:
9 dicas para fazer o Caminho de Santiago
30 coisas que não deve fazer no Caminho de Santiago

 

Causas das bolhas nos pés

Se a prevenção é, de longe, a melhor forma para evitar as bolhas nos pés, nada como ficar atento as principais causas do surgimento delas e assim, prevenir com eficácia! Para cuidar dos pés, fique atento as seguintes situações:

  • Forte atrito da pele com o chão, calçado ou com as meias, como por exemplo, a costura do modelo da meia ou um calçado novo
  • Excesso de umidade nos pés, causado por meias de algodão que dificultam a evaporação do suor
  • Sujeira que entra nos calçados ou nas meias e cria fricção. Sabe aquela pedrinha chata, tão comum em caminhos de terra batida?

 

Como cuidar dos pés

1 – Invista em calçado de boa qualidade

Não há volta a dar: calçado de boa qualidade requer investimento e uma escolha com base no preço pode ser sinônimo de problemas, entre eles as indesejadas bolhas nos pés. Opta por um calçado de caminhada que seja impermeável e ao mesmo tempo respirável (com a tecnologia Gore-Tex) e, de preferência, que tenha um solado mais firme para evitar que os pés fiquem entornando quando pisar em pedras, raízes e buracos. Os calçados com solados mais firmes evitam também as torções, dores nas costas e pernas!  

 

2 – Escolha o tamanho adequado do calçado

Para cuidar dos pés, todo o cuidado é pouco! Há uma série de pontos que deve estar atento, como a grossura da meia utilizada e o inchado dos pés nas caminhadas longas. O recomendado é escolher um calçado que seja um número acima do que habitualmente utiliza, desde que não fique nem muito folgado e nem muito apertado. Para evitar uma compra errada, experimente o calçado com a(s) meias(s) as quais costuma utilizar nas caminhadas!  

 

3 – Amacie o calçado

Calçado novo numa caminhada de longa distância e de dias seguidos, a exemplo do Caminho de Santiago de Compostela é bolhas e feridas nos pés garantidas. Amacie o calçado para uma caminhada confortável e sem surpresas desagradáveis! O tempo para amaciar o calçado depende do fabricante, modelo e material, ou seja, pode variar de uma semana até um mês ou mais. Faça caminhadas curtas e mais longas, conforme sente que o calçado vai adotando o formado dos pés. Além disso, há outros truques que pode ajudar a amaciar o calçado, como: 1) utilize os calçados para caminhar dentro de casa e para deslocações a pé; 2) dobre a sola do calçado, segurando-os nas mãos e inclinando para a frente e para trás gentilmente e; 3) faça agachamentos utilizando os calçados, pois isso ajuda a amaciar as solas!  

 

4 – Amarre corretamente o calçado

Parece um detalhe sem importância, mas a amarração do calçado evita o surgimento de bolhas. Sim e não é mito! É importante que o tornozelo fique bem firme na parte de trás do calçado, evitando que escorregue para frente, entrando em atrito em diversas partes dos pés.  

 

5 – Use meias sintéticas ou de lã

Se tem coisa que o algodão não é bom, é em reter a umidade. Por isso, o uso das meias sintéticas ou de lã (mesmo no verão!) sem costura e com fibra Coolmax® acaba por ser a melhor opção, pois são confortáveis, absorvem rapidamente o suor e o expelem com mais facilidade do que o algodão e outros tecidos. É aconselhado levar sempre dois pares secos para poder trocar ao longo do dia, pois mesmo as meias sendo sintéticas vão ficando úmidas. Não há milagres!  

 

6 – Passe talco nas meias e no calçado

Se costuma transpirar os pés e adquirir odor desagradável, coloque talco em pó nas meias e no calçado para o suor ser absorvido e eliminar a sensação de desconforto.  

 

7 – Passe vaselina nos pés

A vaselina é muito importante para cuidar dos pés e evitar bolhas e feridas, pois ela hidrata a pele dos pés e evita os atritos que provocam as bolhas. Antes de iniciar a caminhada (e até mesmo antes de dormir), passe uma boa dose de vaselina em todo o pé, inclusive entre os dedos 😉  

 

8 – Nunca lave os pés antes de iniciar a caminhada

Se lavar os pés, pouco antes da caminhada, a pele ficará úmida e pele umedecida é mais sensível à fricção!  

 

9 – Faça pausas regulares durante a caminhada

Durante uma caminhada longa é extremamente importante fazer pausas para recuperar as energias e dar algum descanso aos pés – eles bem que agradecem! Sempre que parar (mesmo que esteja frio e chuvoso), tire os calçados para deixar os pés respirarem. Se as meias estiverem muito úmidas, troque por umas secas. Se os pés estiverem muito secos, reforce a vaselina. Estes pequenos cuidados com os pés ajudam a evitar bolhas e muito!  

 

10 – Colocar os pés em água gelada ou com gelo

Os benefícios da crioterapia ou “terapia por frio”, após o esforço físico e na recuperação de lesões causadas por uma longa caminhada, é um dos tratamentos mais simples e eficazes. Deste modo, colocar os pés em água gelada e, se possível, com gelo reduz o fluxo sanguíneo e consequente diminui o tamanho do edema, a inflamação e da dor. Agora, já sabe que, após um dia difícil de caminhada, nada como colocar os pés, durante 20 min, em água bastante gelada!

 

11 – Alongamento

Faça alongamento antes de depois da caminhada. Antes para preparar os músculos e as articulações para o exercício e melhor a circulação sanguínea e, depois para ajudar a retirar o excesso de ácido lático dos músculos, diminuindo a dor que pode surgir após o esforço físico. E tem mais: quando descansar, eleve os pés, mantendo os joelhos apoiados! 

 

Furar as bolhas: sim ou não?

O ideal é não furar a bolha, uma vez que o teto da bolha é o curativo ideal para seu assoalho cicatrizar bem, impedindo que haja infecção. Para cuidar dos pés, é importante protegê-la com um curativo que não grude, que pode ser gaze coberta por vaselina ou curativos especiais, para manter a bolha longe de mais atrito e contaminação. Com o tempo, a pele cicatriza, a bolha vira uma casquinha e uma nova pele aparece no local. Mas, se a bolha for mesmo muito grande, a ponto de dificultar caminhada, então… furá-la com uma agulha estéril, para que o líquido saia e deixe de distender a pele, causando dor pode ser uma opção válida. Se assim for, siga estes passos:

  • Limpe o local onde está a bolha
  • Desinfeta bem a agulha com álcool
  • Passe a agulha, de preferência com uma linha, fazendo dois pequenos furos na bolha para que o líquido drene e a bolha fique completamente vazia
  • Mantenha a linha dentro da bolha, enquanto ela está drenando!
  • Deixe a bolha secar por um tempo em lugar fresco até que todo o líquido tenha sido retirado
  • Passe uma pomada antibacteriana e não retire a pele da bolha, pois ela serve de proteção!
  • Depois da bolha estar drenada e o pé bem seco coloque um Compeed sobre o local onde está a bolha para proteger a pele de futuras fricções
  • O Compeed serve de proteção e nunca deve ser retirado. Ele cai, naturalmente, quando a pele estiver restaurada
  • Se a bolha ficar vermelha, com pus ou com sangue há perigo de infeção e, nestes casos, deve procurar um médico!

Gostou das dicas? Tem mais alguma para quem vai fazer o Caminho de Santiago de Compostela? Compartilha nos comentários!

 

Gostou das dicas de viagem? Segue o @aquelesqueviajam no Instagram e no Facebook para viajar todos os dias e em realtime! 

Vai viajar? Organize a próxima viagem com as milhares de ideias e inspirações do @aquelesqueviajam no Pinterest! Faça pins e crie álbuns incríveis!

Lembre-se de reservar a hospedagem pelo Booking ou pelo Airbnb com 41€ de desconto na primeira reserva! Faça a reserva agora mesmo!  

 

Se chegou até aqui, deixa um comentário e compartilha esse artigo com quem mais gosta de viajar!

Anterior Próximo

Aposto que também vai gostar de:

3 Comentários

  • Resposta Jorge 13 de junho de 2019 at 17:26

    Naiara,
    Muito bom seu texto informa de forma simples o essencial.
    Me permita só um comentário a respeito das paradas frequentes e retirada da bota. Eu acho que retirar a bota e recolocar em toda a parada rápida de descanso contraproducente , pois o pé incha e fica mais difícil calçar a bota bem ajustada, e uma bota mal calçada e critica.
    Acho que só se deve tirar as notas em paradas
    de pelo menos meia hora e desceu pé suar muito.
    Eu suo muito pouco nos pes, só tiro as botas na hora do almoço/lanche que é uma parada mais longa, descobri que dedicar tirando a toda hora e pior.

    Um abraço,

    Jorge

  • Resposta Naiara Back 20 de julho de 2019 at 15:49

    Olá Jorge, obrigada pela sua mensagem 🙂
    Paragens frequentes que menciono é, por exemplo, quando para para almoçar ou fazer um descanso de mais de 10 minutos. Caso contrário, já fica bastante cansativo tirar e colocar os calçados nos pés, neh?

    Bom Caminho ❤️

  • Resposta Rafael Duarte 27 de setembro de 2019 at 14:22

    Adorei as dicas… já fiz marchas de 42 KM e deixar o calçado macio é essencial…. Como diz na caserna ” a moral do homem está no seu pé”… hahahhahaha….

  • Sou curiosa! Deixe um comentário:

    Adaptado por aquelesqueviajam.com