Loulé: 5 formas criativas para explorar a cidade 1
Algarve, Europa, Experiências, Portugal

Loulé: 5 formas criativas para explorar a cidade

Loulé é uma movimentada cidade comercial situada no coração do Algarve, numa região de montanhas sinuosas e aldeias pitorescas da Serra do Caldeirão. Por aqui não há praias, e sim muitas relíquias históricas que jamais passam despercebidas de um olhar explorador.

Entre as casas típicas de cor branca, ruelas singulares, monumentos e um modo de vida característico vai encontrar diversas formas criativas de explorar a cidade.

1 – Photowalk: fotografar as ruas de Loulé

Fotografar é essencial para registrar memórias e relembrar histórias. Sem contar que a fotografia abre a mente, nos coloca em contato com detalhes quase imperceptíveis apenas por estarmos atentos a uma imagem em particular.

Num photowalk em Loulé, com o fotógrafo Vitor Pina , tem a oportunidade de reunir-se com entusiastas da fotografia, fotógrafos profissionais e amadores para andar pelas ruas, trocar experiências e fazer aquilo que mais gosta: fotografar.

Vai aprender a ver Loulé por uma perspectiva diferente!

2 – Massa Madre: a química do pão natural

Mãos na massa 😛 workshop de Massa Madre 💙 #aquelesqueviajam #portugal #algarve #loule #loulecriativo #aquelesqueviajamdebicicleta

Uma foto publicada por Aqueles que Viajam (@aquelesqueviajam) em

A fermentação natural, também conhecida como “Massa Madre”, é a forma mais primitiva de levedar uma massa de pão. O registro mais antigo é de 3.700 a.C, mas é bem provável que a origem esteja relacionada com o início da agricultura.

Num estilo “slow food”, esse método é bem mais lento do que aquele que é realizado com fermento industrializado, mas o resultado não desaponta: um pão de aparência rústica com a casca crocante, um miolo cheio de alvéolos irregulares e um sabor único.

Mantenha viva a tradição de fazer pães de forma primitiva, tanto pela história e cultura envolvidas nesse método, como pelo sabor que é incomparável aos pães tradicionais.

Num workshop de “Massa Madre” com a chef de cozinha Luísa Soares Teixeira vai aprender a preparar pães a partir da mesma massa. Um verdadeiro desafio à criatividade em volta de uma alimentação saudável.

3 – Pintura sensorial: sentir a arte

Feche os olhos e e esqueça as preocupações. Na pintura sensorial há apenas uma regra a seguir: respirar lentamente e profundamente enquanto mistura as tintas com as mãos. Essa é uma técnica de pintura que convida a sair do óbvio, a ir para outro lugar. Concentre-se nas palavras da artista Adérita Silva e no  contato sensorial que vai estabelecendo com a textura das tintas e movimente as mãos conforme der na telha. Aqui há liberdade infinita para misturar cores e criar uma obra artística que terá para sempre como recordação.

A pintura sensorial pode ser feita num papel, numa tela, num objetivo típico… onde quiser!

4 – Pintura de Cal: relembrar a produção de cal no Algarve

A produção de cal artesanal na região barrocal do Algarve foi durante muito tempo um produto de grande valor econômico. Apesar se ser um trabalho muito duro, era dessa atividade que vinha o sustento de muitas famílias.

Com a introdução e difusão de materiais de construção mais modernos, o cal foi progressivamente perdendo a importância no mercado português e consequentemente o valor econômico que tinha. Em meados do século XX a produção artesanal de cal deixa de existir, mas a sua história não!

Relembre o que uma vez foi a produção de cal no Algarve e recrie algumas das suas utilizações através de um Workshop de Pintura de Cal com a Barroca – Produtos Culturais e Turísticos

5 – Workshop de culinária: Peito de frango recheado com queijo fresco, figos e amêndoa

aquelesqueviajam_algarve_louleO figo e a amêndoa são os ingredientes de base da maioria dos saborosos doces regionais algarvio. As estrelas e os figos cheios (recheados com pedaços de amêndoa, açúcar e chocolate), os queijos de figo (moldados com pasta de figo e amêndoa moídos, chocolate, açúcar e condimentos secretos) e os doces em forma de peixe ou frango, que também usam figo moído ou inteiro, cortado à tesoura são de comer e pedir por mais.

Mas o uso do figo e amêndoa não se limita aos doces. Com eles é sempre possível ousar, nem que seja só um pouquinho. Num workshop de culinária com o chef de cozinha Caue dos Reis aprende todos os truques para criar uma nova abordagem, como por exemplo, misturá-los para rechear um peito de frango.

aquelesqueviajam_coraçao

O Loulé Criativo é parceiro do projeto “Aqueles que viajam de bicicleta: o Algarve além das praias”. Ambos temos como missão inspirar a viajar de bicicleta e mostrar o quão diversificado é o Algarve.

Endereço: Loulé, Algarve/ Portugal

Agenda e Inscrições: Loulé Criativo

Contato: loulecriativo@cm-loule.pt

Anterior Próximo

Aposto que também vai gostar de:

12 Comentários

  • Resposta Susana Calado Martins 7 de fevereiro de 2017 at 13:15

    Ficamos todos à tua espera para mais experiências e descobertas… 😉 És sempre bem-vinda a Loulé!

  • Resposta Amanda Saviano 10 de fevereiro de 2017 at 12:12

    Que bacana! Não conhecia a região! Já marquei na listinha!

  • Resposta Beneth Santana Torquato 10 de fevereiro de 2017 at 14:55

    Bacana demais as atividades, principalmente o workshop culinário. Adoro cozinhar e sempre tento aprender pratos dos lugares que visito!

  • Resposta Viviane Carneiro 10 de fevereiro de 2017 at 18:09

    Muito bacana o post!!! ótimas dicas!!! Já fiquei com vontade de conhecer Loulé.

  • Resposta Adriana Magalhães Alves de Melo 10 de fevereiro de 2017 at 19:06

    Que delícia. É sempre bom conhecer lugares de formas diferentes!

  • Resposta Ana Carolina Miranda 11 de fevereiro de 2017 at 12:25

    É sempre bom ter dicas de como explorar a cidade de ângulos diferentes! Ótimas dicas!

  • Resposta Alessandra Maróstica de Freitas 11 de fevereiro de 2017 at 18:17

    Adorei o post! É muito bom poder explorar os lugares de forma diferente. Estas realmente são muito criativas, além de interessantes! Parabéns e obrigada pelas dicas!

  • Resposta Edson Amorina Jr 11 de fevereiro de 2017 at 22:23

    Que legal, Naiara, adoro esses tipos de atividades em cidades turísticas.

  • Resposta Cynara Vianna 12 de fevereiro de 2017 at 21:45

    Muito legal incluir num roteiro atividades que nos ajudam a conhecer a cultura local. Adoro esse tipo de atração.

  • Resposta angela sant anna 13 de fevereiro de 2017 at 00:30

    que legal adorei as sugestões de atividades, fiz algo parecido no Vietnã, e achei muito bonitinho o nome da cidade!

  • Resposta Paula Abud 13 de fevereiro de 2017 at 16:30

    Que legal, adorei as atividades, principalmente a de panificação, adoraria aprender fazer esse pão rústico, fora que deve ser delicioso!!
    Beijos.

  • Resposta Vitor Pina | Loulé Street Photography: Uma das 5 formas criativas para explorar Loulé. 13 de fevereiro de 2017 at 23:50

    […]  https://www.aquelesqueviajam.com/loule-5-formas-criativas-para-explorar-a-cidade/ […]

  • Sou curiosa! Deixe um comentário:

    Adaptado por aquelesqueviajam.com