fbpx
Madrid fora do óbvio
Espanha, Visitar

Madrid fora do óbvio: descobrir a cidade de forma diferente

Madrid me gusta mucho! A cidade tem uma atmosfera única, as lojas têm charme, respira-se cultura e anda-se, facilmente, a pé para todos os lados. Tem tudo, menos uma coisa: praia. Não sei se conseguiria viver na capital espanhola, mas passava por lá, se pudesse, pelo menos um fim de semana por mês.

Além do tradicional roteiro cultural, incluíndo os museus, os palácios, as igrejas e os jardins, o que mais gosto de Madrid são as infinitas possibilidades de descobrir a cidade de forma diferente, ou seja, fora do óbvio. Se identifica? Então leia o que se segue e tenha uma experiência local, longe do turismo de massa, com a historiadora Juliana Bezerra 😉 Vamos a isso?

Madrid

Leia também:
9 dicas para fazer o Caminho de Santiago
De Madrid para Segóvia

 

5 formas de conhecer Madrid fora do óbvio

1 – O Varredor na Plaza de Benavente

De bronze, metal ou de pedra, nas praças, no chão, no alto dos prédios, seja como e onde for, em Madrid há muitas estátuas. Começando pelo urso e o “madroño”, símbolo da cidade, na Puerta del Sol, são dezenas de estátuas que já se integraram tão bem com a paisagem urbana que se tornaram familiares para quem vive na cidade.

Na praça de Benavente, a estátua que se vê é a representação de Jesús Moreno, o varredor mais veterano e conhecido de Madrid, dos anos 60. A estátua, feita em bronze, pelo artista Félix Hernando, em 2001, é uma homenagem ao trabalho dos varredores, profissionais responsáveis por manter a cidade limpa.

Pelo caminho, de forma inesperada, vai encontrar outras estátuas como a Susana, a Julia, o Faroleiro… Ah! Se ver o Vizinho Curioso, não deixe de passar a mão na bunda dele 🙊 Dizem que da sorte! Melhor não duvidar, neh?

 

2 – Bairro de Las Letras

Bairro das Letras

O Bairro das Letras, como o próprio nome sugere, foi o local onde muitos escritores famosos da Espanha, como Miguel de Cervantes, Lope de Vega, Francisco de Quevedo e Luis de Góngora viveram.

Casa Miguel de Cervantes

Obviamente, muitos acabam passando pelo Bairro das Letras em busca do famoso triângulo dourado das artes. Mas, engana-se quem pensa que as atrações do bairro se resume aos museus mais populares de Madrid. Há muito mais para explorar e descobrir!

Alguns dos versos mais célebres da literatura espanhola, dos séculos XVI e XVII, em homenagem aos seus ilustres residentes, estão presentes pelas paredes e chão. Por isso: olhos bem abertos! Esse espírito de bairro lúdico, onde abundavam as tabernas, as “fondas” e as lojas tradicionais, ainda continuam vivo.

Poesia pelo chão Bairro das Letras

 

3 – Casa Museu Lopes de Vega

Casa Museu Lopes de Vega

Félix Lope de Vega y Carpio foi um dos mais importantes escritores e dramaturgos do denominado Século de Ouro Espanhol. Conhecido como o “Fénix de los Ingenios”, além de escritor, foi também militar e secretário de nobres e sacerdotes, como o Duque de Sessa. Paralelo as suas atividades, Lopes de Veiga sempre teve uma vida sentimental muito atribulada. Apesar de ter sido casado, duas vezes, teve inúmeras amantes e 17 filhos.

Lopes de Vegas, ao longo de sua vida, escreveu mais de 1500 obras literárias, de diferentes gêneros e, ainda hoje suas obras são frequentemente representadas pelos teatros do país.

Em 1610, com 48 anos de idade, passa a viver definitivamente em Madrid e compra uma casa, na qual passou seus últimos 25 anos de vida. Situada em pleno Bairro das Letras, na Calle Cervantes, a casa foi declarada Monumento Nacional e transformada num museu para receber visitas, mediante reserva de guias.

Através de objetos pessoais, diversas obras e mobiliário antigo, foram recriados os ambientes de uma típica casa madrilenha do século XVII. Uma experiência literária que recomendo, até mesmo para quem nunca tenha lido qualquer uma das suas peças!

 

4 – Fundação La Caixa Fórum

Caixa Fórum Madrud

A antiga central elétrica “Meio-Dia”, que abasteceu o sul da cidade durante décadas, foi transformada em um centro de arte e cultura para os madrilenhos. Localizada dentro do roteiro cultural de Madrid, junto aos museus do Prado, Thyssen e Reina Sofia, a Fundação La Caixa Fórum acaba por ser uma visita surpreendente e o melhor: fora do óbvio 😉

Na sua programação eclética, há de tudo. De exposições de arte antiga, moderna e contemporânea, aos festivais de música e poesia, passando pela arte multimédia, às jornadas sociais e aos workshops familiares e educativo. Eu disse que era surpreendente, não disse?

Mas… ainda tem mais! A antiga estação elétrica havia sido “comida” pela crescente urbanização da região, perdendo visibilidade. Para solucionar este problema, compraram o terreno em frente, criaram uma praça e, para integrá-la ao novo edifício, o que se fez? Retiraram uma parte térrea do antigo edifício. A praça ficou muito mais ampla e o edifício ganhou uma arquitetura, de fato, muito surpreendente. Parece que está flutuando!

Mas ainda havia um outro probleminha, a parede do edifício vizinho à praça, era desinteressante. Feia mesmo. O que fazer? Construção do maior jardim vertical do sul da Europa. Realizado pelo botânico francês, Patrick Blanc, o jardim possui 24 metros de altura, dos quais 460 metros quadrados abrigam 15 mil plantas de 250 espécies diferentes.

 

5 – Museu Nacional do Romantismo

O século XIX foi, para a Espanha, um tempo de grandes mudanças tecnológicas com a introdução da iluminação pública, as ferrovias e o crescimento industrial. No entanto, também foi de momentos turbulentos, como a decadência econômica, posterior as invasões napoleônicas e à independência das colônias americanas.

Como se não bastasse, após a ascensão ao trono da rainha Isabel II, que governou o país de 1833 a 1868, houve uma guerra civil de, aproximadamente sete anos, desencadeada pelo seu tio Carlos. Como a Espanha vivia sob a lei sálica, onde só os varões tem preferência para ascender ao trono, o tio, obviamente, não aceitou a ascensão de uma mulher.

No entanto, nos elegantes salões onde predominam o azul, os cristais, as cortinas e as almofadas de veludo… a vida em sociedade continuava normalmente. Vemos isso, claramente no Museu Nacional do Romantismo, um edifício de estilo neoclássico dedicado a contar a história de como teria sido a casa e consequentemente o estilo de vida cultural, política e quotidiana da Madrid Romântica.

Museu do Romantismo Madrid

Museu do Romantismo Madrid

No interior da casa, somos transportados para o modo burguês de viver e nos deparamos com móveis de estilo império ou isabelino decorando os quartos, salas de estar (com o piano, instrumento essencial para a educação dos jovens e para alegrar saraus e bailes), um salão de baile e salas dedicadas à infância, aos jogos infantis e uma coleção de bonecas de porcelana.

Museu do Romantismo Madrid

Museu do Romantismo Madrid

Não me importava nada… em ter um modo burguês de viver, do século XIX.

Preparado para descobrir Madrid fora do óbvio? 😍

 

O tour Madrid fora do Óbvio inclui:

  • Guia Local
  • Visita no Museu Nacional do Romantismo

 

Mais informações:

  • Com quem: Juliana Bezerra
  • Quando: todos os dias
  • Ponto de encontro: Puerta del Sol
  • Duração: 3h a 4h
  • Idioma: português
  • Como: reservas através do email jubmp@hotmail.com ou +34 620 148 168

 

O tour personalizado “Madrid fora do óbvio” foi feito em parceria com a historiadora Juliana Bezerra, autora do blog Rumo Madrid. Todas as opiniões são verdadeiras e reflexo de uma experiência real.

Anterior Próximo

Aposto que também vai gostar de:

Seja o primeiro a comentar!

Sou curiosa! Deixe um comentário:

Adaptado por aquelesqueviajam.com