Paris além de croissant e crepes: 6 doces típicos para experimentar
Europa, Comer, França, Paris

Paris além de croissant e crepes: 6 doces típicos para experimentar

Com uma tradição secular na arte da confeitaria, a França e sua capital Paris são referência mundial no assunto ao ponto de, terem muitas receitas consideradas verdadeiros patrimônios culturais do país. Porém, quando falamos em doces típicos franceses, é impossível não associar o país aos Croissants e aos Crepes. Mas, há muito mais para conhecer e experimentar. Preparado?

 

6 doces típicos para experimentar em Paris

 1 – Caramel au Beurre Salé

Em 1343, o Rei Felipe VI criou o “imposto sobre o sal”, tornando-o numa iguaria de luxo. Consequentemente, a manteiga salgada bastante consumida nos lares franceses, foi substituída pela manteiga sem sal, com exceção na Bretanha – um reino vizinho não abrangido pela lei e onde a manteiga salgada se tornou um dos símbolos da região.

Mas, onde entra o caramelo nessa história? O caramelo, feito com açúcar e creme, era uma receita clássica. Mas, em 1977, o chocolateiro Henri Le Roux da cidade de Quiberon, na costa oeste da Bretanha, resolveu inovar, adicionando um grande pedaço de manteiga salgada. O sabor do caramelo mudou por completo, tornando-se um dos doces mais adorados pelos franceses.

Da Bretanha para Paris, o Caramel au Beurre Salé pode ser consumido na sua forma original e em vários outros doces típicos franceses, como em sorvete, crepes, macarons… Experimente! O sal da menteiga, adicionado na receita, amenizou o sabor intenso do açúcar do caramelo, resultando numa harmonia perfeita!

 

2 – Flan Parisien

Originalmente criado na Idade Média, acredita-se que o Flan tenha sido introduzido na gastronomia francesa no seculo XIV.

O Flan é, na verdade, um pudim que, ao longo dos anos foi sendo adaptado de acordo com o país: massa folhada, temperatura elevada e alto teor de açúcar em Portugal (pastel de nata); massa quebrada e leite condensado na China (dàn tà); massa quebrada, creme integral, temperatura baixa e menor teor de açúcar na Inglaterra (torta de creme); massa quebrada, leite integral e amido de milho na França (creme de pastelaria). Assim como a receita, a sua forma também evoluiu. Em alguns países é individual e em outros, como é o caso da França, uma grande fatia.

Considerado um dos doces mais conhecidos, o Flan Parisiense – versão típica de Paris – é um creme de de baunilha sobre uma base de massa quebrada. Seu frescor é incomparável e seu sabor, de leite de baunilha, lembra a infância, principalmente quando acompanhado com um chocolate quente 🙂

 

3 – Les Merveilleux

Les Merveilleux, em português, significa maravilhoso. E sim, de fato, o doce faz jus ao nome. Trata-se de bolinhos de merengue leves e fofinhos que, aparentemente lembram um brigadeiro. Seus ingredientes, de base, são o merengue e o chantilly, mas a sua cobertura varia: chocolate, chocolate branco, amêndoas, avelã, nozes cristalizados…. Na dúvida, peça várias Les Merveilleux, em tamanho mini, até eleger a melhor de todas!

Les merveilleux é servido gelado, ou seja, é perfeito para os dias de calor e para consumo imediato, tal como um sorvete!

Dizem por aí que o doce conquistou tanto o coração dos franceses que já deixou o macaron como segunda opção. Será?

 

4 – Pain au chocolat

Tal como o Croissant, o Pain au Chocolate é um clássico na França. Conhecido também como brioche de chocolate, a verdade é que pouco se sabe sobre a verdadeira origem do Pain au Chocolat, mas… não há como negar: o seu delicioso sabor, suave e crocante, recheado com chocolate promete, desde a primeira até a última mordida, ser uma experiência gastronômica inesquecível!

 

5 – Madeleines

Feita em formato de concha com ovos, manteiga e raspas de limão, a Madeleine é um bolinho esponja muito popular na cultura gastronômica francesa. Deliciosa e simples, ela ganhou notoriedade, status de símbolo nacional e lugar no imaginário coletivo. O motivo? As várias histórias sobre a sua origem!

Existem várias versões que explicam a origem da Madeleine e a escolha do seu nome. Uma delas está relacionada ao convento dedicada à Maria Madalena, que vendia os bolinhos como forma de manter o local e suas creches, no século XVIII.

Na Revolução Francesa, os conventos e os monastérios foram abolidos e, para garantir a permanência do bolinho, na cultura gastronômica francesa, as freiras o batizaram de Madeleine e venderam a receita aos confeiteiros da região.

Porém, a versão mais conhecida diz que o bolinho é, na verdade, uma receita improvisada da avó de Madeleine Paulmier – uma dama de companhia – feita, na tentativa de salvar o jantar na corte do rei Stanislaw Leszczyński que, além de sogro de Louis XV, estava exilado na França.

Mas ainda não acabou! Em 1852, a linha férrea Paris-Strasbourg foi inaugurada e, como forma de divulgar a Madeleine para além da França, a prefeitura de Commercy autoriza a sua venda na plataforma da estação. Não havia passageiro sem uma caixinha de Madeleine em mãos.

As Madeleines, quando recém assadas possuem bordas sutilmente crocantes, um centro macio e um aroma deliciosos. São perfeitas para qualquer momento e acompanhamento. De café ao chá… quantas Madaleines vai provar?

 

6 – Mi-cuit au Chocolat

Se vai viajar para Paris, não há como não experimentar o Mi-cuit au Chocolate, o famoso bolinho de coração mole, conhecido mundialmente como Petit Gâteau. Ainda mais, se for acompanhado de uma bola de sorvete de baunilha. Hummm…

Há várias versões sobre a sua origem. Uma delas conta que o Mi-cuit au Chocolat teria sido obra de um aprendiz meio desastrado. O cozinheiro teria deixado o forno atingir uma temperatura muito alta, assando o exterior e deixado o interior do bolo quase cru. Há também quem aponte o chef francês Jean-Georges Vongerichten como o grande autor. Na preparação, bastou um desequilíbrio na proporção de farinha de trigo, para deixar o interior do bolo com uma consistência cremosa.

Tanto nas mãos de um chef tão habilidoso como o Jean-Georges, quanto nas de um aprendiz, a verdade é que o Mi-cuit au Chocolat surgiu a partir de um erro. Mas, para a agradável surpresa, o sabor surpreende até mesmo os paladares mais exigentes.

 

Agora me conta, de um a seis: quantos doces vai experimentar? 😊

 

Gostou das dicas de viagem? Segue o @aquelesqueviajam no Instagram para viajar todos os dias e em realtime! 

Vai viajar? Organize a próxima viagem com as milhares de ideias e inspirações do @aquelesqueviajam no Pinterest!

Lembre-se de reservar a hospedagem pelo Booking ou pelo Airbnb com 41€ de desconto na primeira reserva!

Anterior Próximo

Aposto que também vai gostar de:

Seja o primeiro a comentar!

Sou curiosa! Deixe um comentário:

Adaptado por aquelesqueviajam.com