Quinta de Covela
Europa, Baião, Douro, Experiências, Portugal

Quinta de Covela: um filme, onde o Vinho Verde é protagonista

O cenário é de Hollywood. Não é à toa que, a Quinta de Covela tenha pertencido a Manoel de Oliveira, um dos mais importantes cineastas europeus da metade do século passado até à atualidade. No período em que lá viveu, construí nos arredores da quinta um aqueduto, muros maciços, casas de pedra e eiras de granito para secar o milho cultivado na região.

Ver essa foto no Instagram

A VIDA É FEITA DE ESCOLHAS: tinto branco ou rosé? 🤔 Na Quinta de Covela, o tinto está fora de opção, pois não há. Todas as uvas, ali plantadas, são utilizadas para produzir Vinho Verde branco e rosé. Ambos são vinhos minerais, com boa acidez e poucos frutos vermelhos ou seja… Vinhos elegantes e que, seja para o almoço, petiscos ou jantar…São sempre uma boa escolha!😉♥️ . . . 💡DICAS E INFORMAÇÕES: – A visistar na Quinta de Covela pode ser combinada com uma prova de vinhos Classic (3 vinhos por 12€), Selection (4 vinhos por 18€) e Reserva (5 vinhos por 25€) – Ainda há a possibilidade de provar os vinhos com uma tábua de produtos regionais ou numa harmonização com pratos regionais – A quinta também possui uma Guest House com 4 quartos de casal – Pode combinar a visita na Quinta de Covela com a @fundacaoecadequeiroz – É possível chegar em Baião de trem, pela estação Tormes. Basta combinar o transfer com a Quinta de Covela – Organize a visita com alguma antecedência pelo e-mail visit@covela.pt. Diga que foi indicação do @aquelesqueviajam 😉 . . . A vista na Quinta de Covela foi realizada a convite da quinta. Uma experiência vínica e gastronômica única para quem é adepto de Vinho Verde, especialmente branco e rosé. #aquelesqueviajam #quintadecovela #enoturismo #wine #winelover #vinhoverde

Uma publicação compartilhada por Aqueles que Viajam (@aquelesqueviajam) em

Quinta de Covela

Como é óbvio, a Quinta de Covela contínua cinematográfica. Porém, é habitada por novos cineastas. Tony e Marcelo são dois amigos e empresários, fundadores da Lima&Smith que se tornaram cineastas dos vinhos portugueses, após comprar, em 2011, a Covela. Foi assim que iniciou, um novo filme, onde o Vinho Verde é o grande protagonista.

Vinho Verde Quinta de Covela

Numa paisagem icônica, na fronteira entre a zona granítica da Região dos Vinhos Verdes e a região de xisto dos Vinhos do Porto e Douro, a Quinta de Covela faz “novos filmes” sem esquecer da sua essência, fortemente associada a vinhos de excelência, iniciada no final dos anos 80 por Nuno Araújo. É a prova de que, na vida, há sempre uma segunda oportunidade!

Quinta de Covela: paisagemQuinta de CovelaQuinta de CovelaQuinta de CovelaQuinta de CovelaQuinta de Covela

A localização privilegiada somada aos solos graníticos (que obrigam as raízes das vinhas a procurar água e minerais nas profundezas) e não xistosos, com terraços de cultivo a baixa altitude e sujeitos a um clima quase mediterrânico, com influência continental e marítima são as principais singularidades que atribuem aos vinhos da Quinta de Coleva, características únicas.

Quinta de Covela: plantação de vinha

O método de produção biodinâmico foi retomado mas, um “novo filme” não podia iniciar sem surpreender. Dessa vez, os vinhos produzidos são feitos com monocastas autóctones, na sua maioria portuguesas e menos conhecidas internacionalmente e a produção contempla, apenas, brancos e rosés. Não há tintos!

Quinta de CovelaCovela Rosé

O clima da Covela reúne a mineralidade dos Vinhos Verdes e o Clima do Douro. Por isso é mais propício à produção de brancos, que, por natureza são vinhos minerais, complexos, frescos e com corpo, mais adequados às exigências do consumidor atual. Os tintos – tanto o Porto quanto o Douro – serão protagonistas de futuros filmes, dirigidos pela Quinta de Covela, na região do Douro, tendo como cenário a Quinta da tecedeiras e a Quinta da Boavista, antiga propriedade do Barão de Forrester – um empresário britânico que ajudou a criar a cartografia da região do Douro, no século XIX. Aguardem!

 

Os Vinhos da Quinta de Covela

Vinhos de Covela

O processo de produção de Vinho Verde branco e rosé é diferente dos tintos, principalmente os produzidos na região do Douro. Obviamente, a vindima acontece nos últimos dias do verão, é realizada manualmente e minuciosamente, por parcela e por casta. Depois, para que ocorra a fermentação alcoólica, o mosto é adicionado em cascos de carvalho ou em cubas de aço inox.

O resultado, alguns meses depois, são os vinhos Covela Escolha, Covela Rosé e quando a colheita é excepcional, Covela Reserva e Covela Fantástico disponíveis para degustar e saborear em qualquer ocasião.

O Arinto é dominado pelos frutos citrinos frescos (como a casca de limão, por exemplo), leve mineral e ervas aromáticas. Na boca, sentimos uma acidez cítrica bastante equilibrada, sendo um vinho muito agradável para degustar a solo ou acompanhado. Peixes, carnes, petiscos… tudo vai bem!

O Avesso (vinho envelhecido na garrafa) possui um aroma floral, cítrico (como o limão maduro) com um leve toque mineral. Na boca, sobressai o sabor de pêssego branco e uma acidez muito elegante que transmite equilíbrio e final longo. Esse é um Vinho Verde que foge do padrão doçura e gás. Com ele, há imensas possibilidades de harmonização!

O Rosé não é um rosé qualquer! Feito com a casta Touriga nacional, tem uma tonalidade pálida, semelhante a de pétalas de rosa e um aroma fresco. Sobressai o aroma dos frutos vermelhos e um leve toque cítrico. Há quem sinta o leve aroma de mirtilos! Na boca, o seu sabor é seco, com uma acidez vibrante e fina que se prolonga.

 

Enoturismo: em complemento aos vinhos

A Quinta de Covela não é apenas um filme para assistir e sim uma experiência completa onde há todo um cenário envolvente que permite criar memórias visuais, olfativas e auditivas.

Quinta de Covela Enoturismo

Aqui há prova de vinho informais, almoços, piqueniques, jantares com fado nas ruínas do século XVI situadas numa das partes altas da quinta e outros serviços customizados. Sem contar, na possibilidade de passear pelos quase 50 hectares de vinha e pelos vários monumentos, deixados como herança pelo cineasta Manoel.

Sala de provas Quinta de Covela

Se gostou e quer ficar, mais alguns dias pela Covela, há quatro casas de pedra para hospedar até oito pessoas. Uma casa irresistível para quem quer viver num cenário de filme com Vinho Verde direto da fonte 😉

 

💡Dicas e Informações:

– Para visitar a Quinta de Covela, de transporte público, há transfer direto do Porto ou da estação de trem Ermida ou Arregos. Basta solicitar e combinar diretamente na quinta!

– Se vai de forma autônoma, lembre-se de reservar a visita com antecedência. Principalmente se deseja conciliar a prova de vinhos com uma experiência gastronômica.

– Se vai até Baião, antes de chegar na Quinta de Covela, visite a Fundação Eça de Queiroz. Um espaço lindíssimo que além de cultural, está ligado com a produção de vinhos da região.

– Se optar por ficar na Quinta de Covela, aproveite para fazer os percursos pedestres ou BTT para explorar melhor a região.

 

Quinta da Covela
Onde: São Tomé de Covela, Baião / Portugal
Quando: a Quinta de Covela pode ser visitada de segunda a domingo, das 10:30h as 18:30h, até ao final de setembro. Entre outubro e abril, pode ser visitada de terça a domingo, das 10;30h as 16:30h. Aos sábados, domingos e feriados é exigida marcação prévia de, pelo menos, um dia.
Quanto: provas de vinho à partir de 15 euros com a prova de três vinhos
Contato: +351 254 886 298 ! visist@covela.pt

 

Ansioso para experimentar os vinhos da Quinta de Covela? Me conta, vai! 😉

 

Gostou das dicas de viagem? Segue o @aquelesqueviajam no Instagram para viajar todos os dias e em realtime! 

Vai viajar? Organize a próxima viagem com as milhares de ideias e inspirações do @aquelesqueviajam no Pinterest!

Lembre-se de reservar a hospedagem pelo Booking ou pelo Airbnb com 41€ de desconto na primeira reserva!

 

A visita e a experiência de enoturismo na Quinta de Covela foi a convite do Tony Smith, um dos proprietários da quinta. As opiniões são verdadeiras e baseadas numa experiência real.

Anterior

Aposto que também vai gostar de:

Seja o primeiro a comentar!

Sou curiosa! Deixe um comentário:

Adaptado por aquelesqueviajam.com